Mamilo de Ouro e mamaço: evento em Olinda debate importância da amamentação

Destaque do dia é a entrega do prêmio 'Mamilo de Ouro' para a mãe que mais amamentou nos últimos seis meses

Prêmios oferecidos para as mãesPrêmios oferecidos para as mães - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Agosto Dourado é o nome dado à campanha que debate a importância da amamentação para a mãe e o bebê nos primeiros seis meses após o parto. Nesta terça-feira (20), um evento na Unidade de Saúde da Família de Peixinhos, em Olinda, discute o tema com palestras e orientações. O destaque do dia é a entrega do prêmio “Mamilo de Ouro” para a mãe que mais amamentou nos últimos seis meses. É também uma oportunidade para várias mães compartilharem experiências enquanto amamentam simultaneamente - encontro denominado “mamaço”.

Em clima de descontração, médicos, nutricionistas e agentes de saúde orientam as mães da comunidade de Peixinhos e quebram os mitos existentes sobre a amamentação. Para o gerente da unidade, Vagner Belmont, esse tipo de contato com as mães aumenta a adesão da amamentação exclusiva entre elas. “Tem mãe que pensa que o leite é fraco, diz que não tem leite o suficiente... Hoje a gente quebra esses tabus nas palestras e vai aumentando a adesão ao leite materno exclusivo”, explica.

Mamilo de ouro
A Unidade de Saúde da Família de Peixinhos foi premiada em 2018, pela Secretária de Saúde de Olinda, como a unidade de saúde do município que mais promoveu ações do Agosto Dourado. Neste ano, a USF quer continuar sendo reconhecida. Por esse motivo, Vagner diz ter encabeçado alguns diferenciais da ação neste ano, como o prêmio Mamilo de Ouro. “Se o leite materno é o melhor leite, ele vale ouro, então nada melhor do que a gente colocar o mamilo de ouro para representar”, afirma. Na ocasião, duas mães que frequentam a unidade receberam o prêmio.

Leia também:
Bebês amamentados têm menos risco de serem obesos, diz OMS
Pesquisa mostra regressão de danos em bebês expostos ao vírus Zika
Educação de crianças com câncer ganha sala especial no Recife

Feito de papel machê e coberto com tinta dourada e glitter, os troféus do prêmio são simples, mas o seu significado é abrangente. Para Íris Carolina, 31, mãe e ganhadora do prêmio, é gratificante ser reconhecida pelo esforço. “O meu acompanhamento pré-natal foi desde o início até agora, participei de palestras toda sexta-feira”, conta. A filha de Íris, Winnie, tem apenas 17 dias de vida; ainda assim, a mãe ganha o prêmio pelo acompanhamento assíduo nas atividades pré-natais na USF de peixinho.

Íris conta que desde sua última gravidez, há 8 anos, aprendeu muito, inclusive com o auxílio da unidade de saúde. “Quando tive minha primeira filha, tive depressão pós-parto, então eu não tinha anseio de estar sempre acompanhando, e hoje eu tenho, sei que sou uma boa mãe”, diz. Para ela, a homenagem é para todas as mães que se esforçam. “Estou muito feliz por ser homenageada, não estou representando só eu, mas todas as mães que amamentam”.

Veja também

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas
Brasil

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em Mato Grosso nos últimos 12 anos foi ilegal
Meio ambiente

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em MT nos últimos 12 anos foi ilegal