A-A+

Manifestantes protestam contra prisão de dois homens na Mascarenhas de Moraes

Corpo de Bombeiros e policiais militares estiveram na avenida e liberaram os pontos interditados

Protesto contra a prisão de dois homens suspeitos de rouboProtesto contra a prisão de dois homens suspeitos de roubo - Foto: Cortesia/WhatsApp

Familiares, amigos e conhecidos protestam, na manhã desta sexta-feira (12), contra a prisão de Bruno Nunes de Andrade, 22, e de Wilson Xavier da Silva, 32, na avenida Mascarenhas de Moraes, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul do Recife. O protesto começou por volta das 6h30 da manhã.

No momento, manifestantes levantam cartazes com os nomes dos rapazes e pedem justiça, sob a alegação de que os dois homens são inocentes. Como forma de intensificar a reivindicação, os manifestantes queimaram pneus na avenida. De acordo com familiares, Bruno trabalha de carteira assinada em uma de bateria, enquanto Wilson trabalha como autônomo, fazendo ‘bicos’.

“Esse protesto está acontecendo porque ele (Bruno) foi preso injustamente. Disseram que ele estava em um assalto, mas não estava. Ele estava trabalhando. Tanto Bruno quanto Wilson são inocentes. Wilson é canhoto, e, na filmagem, aparece ele como sendo destro. Bruno não tem tatuagem, e na filmagem aparece um homem com tatuagem. Eles estão presos de forma injusta”, diz a esposa de um dos rapazes, Cristiane Bento”.

Leia também:
Sem carros, taxistas organizam novo protesto no Recife
Santa reforça segurança, mas não evita protesto
Taxistas cobram fiscalização de apps em protesto no Recife


“A gente está lutando pelo direito deles, que estão pagando por um crime que não cometeram. São dois pais de família; são honestos. Não é porque a gente mora nessa comunidade (Sítio Grande) que todos devem ser classificados como bandidos”, disse em tom de revolta, Petronila da Silva, moradora da comunidade Sítio Grande.

Bruno e Wilson foram presos no dia 7 de janeiro deste ano suspeitos de terem roubado uma imobiliária, em Boa Viagem, no dia 14 de novembro do ano passado. Os dois foram soltos, provisoriamente, por cinco dias; depois voltaram a ser presos no dia 21 de março ainda por conta desse caso.

O Corpo de Bombeiros, e a Polícia Militar, foram acionados. Os pontos interditados foram liberados por volta das 8h30 desta sexta. 

Veja também

Com nome em homenagem a Chico Science, escola técnica é inaugurada em Olinda
Educação

Com nome em homenagem a Chico Science, escola técnica é inaugurada em Olinda

MG: bombeiros atendem a 1.129 chamadas por incêndios em uma semana
Incêndios

MG: bombeiros atendem a 1.129 chamadas por incêndios em uma semana