Marca de cosméticos é criticada por fazer 'campanha protesto' com modelos cobertos de lama

Em rede social, empresa diz que ensaio foi feito pela tragédia de Brumadinho

Campanha causou indignação nas redes sociais. 'Oportunismo', 'falta de noção e mau gosto', acusaram internautasCampanha causou indignação nas redes sociais. 'Oportunismo', 'falta de noção e mau gosto', acusaram internautas - Foto: Reprodução/Twitter

O ensaio fotográfico da marca de cosméticos Jendayi, que fotografou modelos cobertos por lama dois dias após a tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, foi recebido com críticas na internet. De acordo com o anúncio da empresa em uma rede social, as fotos seriam "um protesto". Procurados, a empresa e o responsável pela campanha não se manifestaram até a publicação deste texto.

"Oportunismo a gente vê por aqui. Por que não manda ajuda financeira, ao invés de gastar dinheiro com esse ensaio ridículo? Quem, num mar de lama, ia estar com cílios postiços, camiseta insinuante? Vocês não têm nenhuma assessoria de marketing digital?", escreveu um internauta na publicação da marca.

"Não bastasse a falta de noção e o mau gosto, ainda tem piadinha publicitária de clama com lama. Parabéns por virarem case do que não fazer com uma marca quando acontecer uma tragédia", disse outro internauta sobre o slogan da campanha, "Brumadinho clama".

Leia também:
Vale não mostra preocupação com trabalhador após tragédias, diz procurador
Ações da Vale despencam após tragédia em Brumadinho
CVM investiga Vale por divulgação de tragédia em Brumadinho
Pedidos de doações destinadas a Brumadinho são investigados pela polícia

De acordo com o texto que acompanha as fotos divulgadas na internet, o objetivo é "mostrar que existe uma marca de cosméticos que se preocupa com a beleza... A beleza da vida". O texto é assinado pelo fotógrafo e diretor de marketing da empresa, Jorge Beirigo. A reportagem não conseguiu contato com Beirigo.

O rompimento de uma barragem da mineradora Vale liberou cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba, que passa pela região de Brumadinho. O número de mortos no rompimento da barragem de rejeitos chegou, na manhã desta segunda (28), a 60 pessoas, com 292 desaparecidos.

Jundayi Cosméticos

Jundayi Cosméticos - Crédito: Reprodução/Twitter

Veja também

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU
Mundo

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus
Pandemia

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus