Marcada a audiência de instrução da Tragédia na Tamarineira

João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, autor do crime que destruiu pelo menos duas famílias, passará por uma audiência de instrução e julgamento no próximo dia 07 de maio

João Victor RibeiroJoão Victor Ribeiro - Foto: Divulgação

Após três meses preso por provocar o grave acidente que matou três pessoas e deixou outras duas gravemente feridas no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, passará, no próximo dia 7 de maio, por uma audiência de instrução e julgamento. A sessão, de acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco, está prevista para começar às 9h e ouvirá testemunhas de defesa  e acusação e o réu. Na ocasião, o autor do crime poderá prestar depoimento, caso não opte pelo silêncio.

Leia também
Motorista que causou colisão na Tamarineira vai responder por triplo homicídio
Tragédia da Tamarineira: MPPE denuncia motorista por triplo homicídio e duas tentativas
Acidente na Zona Norte mata duas mulheres e fere duas crianças
[Vídeo] Motorista que provocou acidente responderá por duplo homicídio
[Vídeo] Imagens mostram momento de acidente na Zona Norte do Recife

A audiência será presidida pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti, da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca da Capital,  no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra, região central do Recife. Ao final, o magistrado anunciará a sentença de pronúncia, que decidirá se o réu irá a júri popular ou não.

Inquérito
A Polícia Civil havia indiciado João Victor por triplo homicídio com dolo eventual e concurso formal e lesão corporal grave com perigo de vida. Após a conclusão no dia 4 de dezembro, a denúncia foi encaminhada ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que passou a tratar o caso como triplo homicídio duplamente qualificado e duas tentativas de homicídio. A denúncia foi feita pelo MPPE no dia 7 de dezembro pela promotora de Justiça Ana Maria Sampaio Barros de Carvalho. 

O MPPE atribui duas causas à acusação: a impossibilidade de defesa das vítimas e o perigo comum a quem trafegava no local (motoristas, motociclistas, ciclistas e/ou pedestres). O órgão também aponta como agravante a presença, no carro atingido, de duas crianças e uma gestante.

Entenda o caso
O Ford Fusion, de placa NMN 3336, que era conduzido por João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, 25 anos, trafegava em alta velocidade e ultrapassou um sinal vermelho às 19h32 do dia 26 de novembro passado, na esquina da rua Cônego Barata com a avenida Conselheiro Rosa e Silva, no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, atingindo o Toyota RAV4 e placa DEZ 9493, onde estava uma família.

A mãe, Maria Emília Guimarães, de 39; e a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23, que estava grávida, morreram na hora. O filho do casal, Miguel Neto, que faria 4 anos em dezembro, faleceu no hospital. Condutor do SUV da família, o pai, o advogado Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 45 anos, e a filha Marcela, de 5, sobreviveram.

Veja também

Vantagem de Biden sobre Trump cai 2 pontos percentuais em uma semana
EUA

Vantagem de Biden sobre Trump cai 2 pontos percentuais em uma semana

Presidente parece torcer contra a vacina de Covid-19, diz Doria
Coronavírus

Presidente parece torcer contra a vacina de Covid-19, diz Doria