Acidente

Marquise que desabou no último sábado (5) será demolida pela Defesa Civil

O acidente, que ocorreu no Bairro de São José, vitimou o diretor do bloco Saberé Tradição

Foto: Marconi Meireles/ Folha de Pernambuco

A Defesa Civil do Recife iniciou, nesta segunda-feira (7), o processo de escória e demolição manual da marquise que desabou em cima de participantes do bloco carnavalesco Saberé Tradição, no último sábado (5). O acidente aconteceu depois de um dia com intensas chuvas e causou a morte do diretor do Saberé, Arthur Cardoso, de 69 anos, e ferimentos em mais quatro participantes do bloco. 

Localizado no cruzamento da rua Vidal Negreiro com a São João, bairro de São José, o edifício que fica em cima da sede do Saberé possui sua estrutura conectada à marquise e por isso está sendo inspecionado. A gerente geral de engenharia da Defesa Civil, Elaine Hawson afirmou: 

“A equipe está fazendo uma vistoria na edificação para que seja disponibilizado aos moradores um parecer com as recomendações. Vamos colocar se é necessário recuperação ou manutenção e os moradores terão acesso a esse parecer para tomar as providências.” 

De acordo com a gerente, o processo de demolição da marquise é a prioridade da equipe e pode levar mais de um dia, visto que deve ser feito com cautela. Enquanto essa retirada acontece, os moradores foram solicitados a não ficarem dentro do prédio, mas Elaine ressaltou que o edifício, a princípio, não está interditado 

Moradores do local

Para os moradores do prédio, o sentimento geral é o de insegurança. A aposentada Onileda Alves mora no prédio há mais de 50 anos e disse desejar sair do edifício o mais breve possível. “Não estou me sentindo bem, desde o dia do acidente eu fui para a casa da minha filha e não fiquei aqui, eu vou me mudar, não quero mais ficar aqui de jeito nenhum, vou tirar minhas coisas”, falou ela. 

Adenilsa Bezerra é técnica em patologia clínica e contou que a maioria dos moradores tentava cuidar do prédio como era possível e, depois do acidente, permaneceram no local por não ter outro lugar para ir. “A gente não estava na hora, mas ficamos assustados. Muitos não têm para onde ir, a gente vai sair para onde, para a rua? Não pode. A gente sempre limpava, pedia para ninguém jogar lixo, porque se jogar lixo, tem infiltração. Aquela parte sempre descia água, mas nós estávamos sempre ajeitando, os próprios moradores”, explicou.

Defesa Civil do Recife

A equipe de fiscalização da Defesa Civil do município explicou que o prédio possui desgastes de vários elementos e apresenta algumas infiltrações, mas o resultado final só será divulgado no parecer que ainda está sendo feito. 

A gerente geral de engenharia Elaine Hawson explicou que as edificações antigas devem ser supervisionadas com frequência para garantir a segurança de suas estruturas. “É uma edificação bastante antiga, com provavelmente mais de cinquenta anos e é importantíssimo que esse tipo de edifício passe por uma vistoria e inspeção preventiva e corretiva com mais periodicidade”, afirmou.

Já sobre as possíveis causas que levaram ao desabamento da marquise, Elaine contou: “É cedo para falarmos a causa exata, mas sabemos que a falta de manutenção pode ter agravado esse problema. o problema muitas vezes está em cima da marquise e por isso deve ser feito uma inspeção. Os moradores devem ter consciência disso e contratar um profissional habilitado para que ele possa fazer essa vistoria mais detalhada. 

Até o momento, o proprietário do imovel não apareceu e a Defesa Civil não tem informações sobre ele. 

Veja também

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses
Saúde

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses

Moradores fecham pista da av. Agamenon Magalhães após fio de alta tensão cair em rua da Zona Norte
Recife

Moradores fecham pista da av. Agamenon após fio de alta tensão cair em rua da Zona Norte