Mato Grosso endurece regras sobre máscaras e prevê multa por descumprimento

Uso do material é obrigatório para quem sair de casa, sendo passível de multa em caso de desacato

Governador do Mato Grosso, Mauro MendesGovernador do Mato Grosso, Mauro Mendes - Foto: Reprodução/Facebook

O governo de Mato Grosso endureceu as regras sobre o uso de máscaras pela população do estado e prevê multa a quem descumprir a exigência. O governador Mauro Mendes (DEM) enviou à Assembleia Legislativa projeto de lei que prevê a obrigatoriedade do uso de máscaras por todas as pessoas enquanto durar o estado de calamidade pública devido à pandemia do novo coronavírus, a partir do momento em que elas deixarem suas casas.

Estabelece ainda multa de R$ 140 a quem for flagrado descumprindo a determinação. Mendes já tinha estabelecido a obrigatoriedade num decreto publicado no início do mês, mas ele restringia a exigência do equipamento de proteção a ambientes públicos e estabelecimentos privados -como bancos e supermercados. 

Leia também:

Brasil bate recorde e registra 204 novas mortes por coronavírus em 24h

Crise do coronavírus já custa R$ 3,9 bilhões a operadoras de turismo

Pandemia de coronavírus reduz em até 70% atendimento de infartos pelo país 

Agora, o governador quer ampliar as exigências para todas as pessoas que forem circular ao deixar sua casa, o que significa que será preciso utilizar a máscara nas ruas, nas lojas ou nos locais de trabalho. Se aprovada pelos deputados, a medida entrará em vigor dia 1º de maio e terá validade até o fim do decreto de calamidade pública.

Mato Grosso tinha, até a tarde desta segunda-feira (13), 134 casos confirmados da Covid-19, com quatro mortes, registradas em Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Cáceres e Aripuanã.Cuiabá é a cidade com mais casos confirmados, 72, seguida por Rondonópolis (22) e Sinop (11).

Além da multa de R$ 140 para quem descumprir a medida, a pessoa ainda poderá responder por infração à medida sanitária preventiva e desobediência. A fiscalização deverá ser feita pelo Procon, Vigilância Sanitária (do estado e dos municípios) e Polícia Militar.

"Não queremos autuar ninguém, por isso estão sendo previstas essas semanas de adaptação [até 30 de abril], para que todos os cidadãos e empresas providenciem máscaras. Até lá, continuaremos com as ações de fiscalização e conscientização", disse Mendes por meio de sua assessoria.

O governo do estado está distribuindo máscaras em locais de grande circulação de pessoas em Cuiabá e também em órgãos públicos, como secretarias da Segurança, Assistência Social e Educação.

Até esta terça-feira (14), foram distribuídas cerca de 4.000 unidades do equipamento de proteção, em ação coordenada pelo Corpo de Bombeiros e
Secretaria de Planejamento e Gestão.

Segundo o governo, a campanha prevê a entrega de 50 mil máscaras de tecido, compradas por meio de um termo de compromisso assinado com a Procuradoria Regional do Trabalho, que destinou R$ 1,05 milhão para compra de equipamentos de proteção. Mendes disse que a meta é reduzir a circulação do vírus e, consequentemente, o impacto que a pandemia provoca na saúde e na economia. 

 

Veja também

Cabo de Santo Agostinho inicia entrega de caderno de atividades para alunos da rede Municipal
Educação

Cabo de Santo Agostinho inicia entrega de caderno de atividades para alunos da rede Municipal

Méliuz anuncia mais de 100 vagas de trabalho remoto; pessoas do NE podem se inscrever
Empregos

Méliuz anuncia mais de 100 vagas de trabalho remoto; pessoas do NE podem se inscrever