Mayra Aguiar é ouro para o Brasil no judô

Na final disputada neste domingo (11), brasileira derrotou, por ippon, a cubana Kaliema Antomarchina

Mayra Aguiar Mayra Aguiar  - Foto: Divulgação/COB

Neste domingo (11), Mayra Aguiar conquistou a medalha de ouro na categoria 78kg, nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Ela superou por ippon a cubana Kaliema Antomarchi na final. Esse é o primeiro ouro dela no Pan. "Estava com muita vontade de conquistar esse ouro", disse ao final da disputa.

Bicampeã mundial, Mayra levou a prata no Rio 2007 e Toronto 2015. Ela também é dona de duas medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e Rio 2016. "Eu sabia que seria uma luta dura. A cubana é uma adversária duríssima e estava muito bem. Já tinha lutado contra ela algumas vezes. A luta foi para o golden score, que normalmente, por estatística, eu perco. Mas estava me sentindo superbem", comemora.

Nas quartas de final, Mayra venceu por ippon a americana Nefeli Papadakis. Na semi, ela precisou de apenas 27 segundos para vencer, de novo por ippon, a venezuela Karen Leon.

Beatriz Souza e David Moura também lutaram neste domingo. Eles foram derrotados na semifinal e disputam o bronze. Nas quartas de final, Beatriz venceu por ippon a mexicana Priscila Martinez, mas perder para a porto-riquenha Melissa Mojica após sofrer um waza-ari.

Atual medalhista de ouro Pan-Americano, David Moura venceu por waza-ari o chileno Francisco Solis na quarta de final, mas na semi, perdeu por ippon para o cubano Andy Granda.

Com a medalha conquistada por Mayra Aguiar, o judô do Brasil soma cinco medalhas de ouro no Pan de Lima. Renan Torres, Larissa Pimenta, Rafaela Silva e Eduardo Yudy também garantiram o primeiro lugar.

Leia também:
Brasil fica fora do pódio no vôlei feminino
Brasil conquista ouro na vela, no judô, hipismo e atletismo no Pan

Veja também

Motorista perde controle de carro e cai de viaduto em Pombos
Mata Sul

Motorista perde controle de carro e cai de viaduto em Pombos

Do estupro como cortesia para o aborto inseguro
Mulheres em Movimento

Do estupro como cortesia para o aborto inseguro