FAMÍLIA REAL

Meghan tenta evitar julgamento em caso contra jornal britânico por invasão de privacidade

Esposa do príncipe Harry denunciou o jornal sensacionalista Daily Mail por invasão de privacidade, mas contra quer evitar um julgamento midiático

Príncipe Harry e Meghan MarklePríncipe Harry e Meghan Markle - Foto: Michele Spatari/AFP

Um tribunal britânico começou a analisar, nesta terça-feira (19), a denúncia apresentada pela duquesa de Sussex, Meghan, esposa do príncipe Harry, contra o jornal sensacionalista Daily Mail. A denúncia apresentada por Meghan é por invasão de privacidade, mas a duquesa quer evitar um julgamento midiático.

A ex-atriz americana, de 39 anos, acusa a empresa editora Associated Newspapers - que publica o Daily Mail, o Mail Online e sua versão dominical Mail on Sunday - de violar seus direitos ao publicar trechos de uma carta manuscrita enviada ao seu pai, Thomas Markle, em 2018.

Em um primeiro momento, o julgamento foi programado para janeiro de 2021, mas alegando uma "razão confidencial" os advogados da duquesa pediram um adiamento para o outono.  

No entanto, paralelamente Meghan pediu um "julgamento sumário", um procedimento no qual a lei anglo-saxônica permite que um caso seja resolvido sem julgamento. E isso é o que a Alta Corte de Londres analisa nesta terça e quarta-feira.

Se o juiz decidir em seu favor, o caso está acabado e sem chance de apelação. Mas se a duquesa perder, o caso terá um julgamento completo que Meghan teria que enfrentar com seu pai, com quem mantém uma relação muito tensa, diante do tribunal para testemunhar.

Evitando um julgamento, a esposa do príncipe - neto da rainha Elizabeth II - quer evitar que, como autorizou a justiça em setembro, a Associated Newspapers apoie sua defesa no livro "Finding Freedom", uma biografia recente sobre o casal e seu afastamento da monarquia britânica. 

Os advogados do grupo afirmam que Meghan "cooperou com os autores" desse livro, que faz referência à carta, o que ela nega. 

Veja também

Saúde autoriza recursos para 3,2 mil leitos de UTI
Coronavírus

Saúde autoriza recursos para 3,2 mil leitos de UTI

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio
Vacina

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio