Meira volta atrás e decide ficar no PTB

O prefeito eleito de Camaragibe está sendo levado para a Frente Popular pelo deputado Aluísio Lessa

Evento ocorre no próximo sábado (3)Evento ocorre no próximo sábado (3) - Foto: Divulgação

Primeiro foi Bruno Martiniano, eleito prefeito de Gravatá em 2012 pelo Partido Trabalhista Brasileiro, após duas fracassadas tentativas. Em 2014 ele se negou a apoiar o candidato do seu partido ao Governo do Estado, Armando Monteiro Neto, e se abraçou com Paulo Câmara que era o candidato do PSB. Depois, foi a prefeita de Arcoverde, Madalena Brito, igualmente eleita pelo PTB, que se negou a apoiar o senador. Ela também marchou com Paulo Câmara, desfalcando o PTB num dos mais importantes municípios do sertão pernambucano. Isso numa eleição majoritária teve um efeito devastador na campanha do senador. Agora, o prefeito eleito de Camaragibe, Demóstenes Meira, ensaiou dar as costas ao seu partido antes mesmo de ser empossado, mas depois voltou atrás. Mas, pelas mãos do deputado Aluísio Lessa, ele já se entendeu com o Palácio do Campo das Princesas e no futuro, quem sabe, poderá voltar ao PSB.
O prefeito eleito de Camaragibe está sendo levado para a Frente Popular pelo deputado Aluísio Lessa

O “colchão” petebista para 2018
O PTB elegeu nessas eleições muito menos prefeitos do que calculava, mas ainda assim tem uma presença razoável na área metropolitana do Recife. Apesar do risco de perder Demóstenes Meira (Camaragibe), continuará com os prefeitos eleitos ou reeleitos de Igarassu (Mário Ricardo), São Lourenço (Bruno Pereira), Moreno (Vavá Rufino) e Ipojuca (Romero Sales). A vitória deste último está “sub judice”.

Bomba > Não é só a União que enfrenta problema com a Previdência. Os governos estaduais também estão na mesma dificuldade. O do Rio de Janeiro propôs aumento de 11% para 14% na contribuição previdenciária dos servidores. Se a Assembleia Legislativa rejeitar, o governador Pezão poderá renunciar.
Transição > Após alguns tropeços no início, a “transição” administrativa em Petrolina começou a fluir com normalidade, assim como em Caruaru, Olinda, Gravatá, Moreno e Jaboatão dos Guararapes.
Golpe > O PT saiu enfraquecido dessas eleições no Brasil inteiro, mas o “golpe” que sofreu em SP foi o que mais machucou Lula. O partido tinha 72 prefeitos (incluindo o da capital) e elegeu apenas 8.
Debate > Amanhã, às 14h30, na biblioteca da UFPE, Antonio Lavareda estará debatendo o resultado das eleições com Paulo Peres (UFRS) e Humberto Dantas (Isper), com mediação de Gabriela Tarouco.
Dúvida > Deve-se encarar com ceticismo a promessa feita por Michel Temer de concluir até o final do seu mandato 1.071 obras federais inacabadas nos 26 estados, além do Distrito Federal. Outros presidentes da República também assumiram este compromisso e as obras continuaram do mesmo jeito.
Geriatras > Aos 88 anos, o prefeito eleito de Catende, Josibias Cavalcanti (PSD), é o mais velho do Brasil da safra de 2016, ao passo que o mais idoso das capitais é o peemedebista Iris Rezende, que se elegeu prefeito de Goiânia (GO) pela 4ª vez, derrotando Vanderlan Cardoso (PSB): 82 anos.
Ensaio > O governador Paulo Câmara deveria preparar-se melhor antes de fazer discursos de improviso em solenidades oficiais. Anteontem, por exemplo, no encontro dos prefeitos do PSB em Gravatá, saiu-se com esta: “Vamos nos unir e fazer parcerias. É assim que vamos vencer 2017. Queremos dar condições a Pernambuco de ser o 1º estado a superar esta crise. Temos força de trabalho, gestão, força política e apoio dos pernambucanos”. (???).

Veja também

Uso de fogos no período de campanha eleitoral gera preocupação com os pets; entenda os perigos
Folha Pet

Uso de fogos no período de campanha eleitoral gera preocupação com os pets; entenda os perigos

PF combate fraudes na compra de material contra covid-19 em Minas
fraude

PF combate fraudes na compra de material contra covid-19 em Minas