Prevenção

Meningite: conheça as causas, os sintomas e as formas de evitar a doença

A meningite é considerada, pela OMS, uma doença devastadora devido à alta taxa de mortalidade

A meningite é a infecção das membranas que recobrem o cérebroA meningite é a infecção das membranas que recobrem o cérebro - Foto: Unplash

Devido às altas taxas de mortalidade e ocorrência de sequelas, a meningite é considerada uma doença devastadora pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ela segue afetando diversos locais do planeta, com destaque para o "Cinturão da Meningite", na África.

No Brasil, a doença continua circulando, sendo que, entre 2007 e 2020, cerca de 400 mil casos suspeitos foram notificados ao Ministério da Saúde.

Com objetivo de promover a conscientização e as estratégias de prevenção contra a doença, a OMS estabeleceu o dia 24 de abril como Dia Mundial do Combate à Meningite.



O que é meningite?
É um quadro de inflamação nas meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Por isso, de acordo com a infectopediatra Flávia Jaqueline Almeida, do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo, trata-se de um tipo de infecção do sistema nervoso central.

O que causa a meningite?
A meningite pode ser causada por diversos micro-organismos, como bactérias, vírus, fungos e parasitas. Segundo Flávia, contudo, a forma mais comum da doença é a viral e a mais grave, a bacteriana.

De acordo com o Ministério da Saúde, a meningite também pode ser causada por processos inflamatórios derivados de cânceres que atingem a região das meninges, lúpus, uso de algumas drogas, traumatismo craniano e cirurgias cerebrais.

Como ela é transmitida?Via de regra, a transmissão da meningite acontece de pessoa para pessoa, a partir do contato com secreções respiratórias contaminadas, como gotículas do nariz e garganta.

Existe também a possibilidade de transmissão por meio da ingestão de água ou alimentos ou fezes contaminadas, segundo o Ministério da Saúde.

Quais os sintomas?
Os sintomas mais característicos da meningite são febre, dor de cabeça e rigidez na nuca (consequência da inflamação das meninges). O paciente ainda pode apresentar mal-estar, náusea, vômito, aumento da sensibilidade à luz e confusão mental e, nos casos mais graves, convulsões, delírio e tremores, de acordo com o Ministério da Saúde.

Além disso, na septicemia meningocócica, quadro causado pela bactéria Neisseria meningitidis, a doença também pode provocar frieza nos pés e nas mãos e dor nos músculos, nas articulações, no peito ou na barriga, além de manchas vermelhas no corpo, segundo a pasta.

É importante destacar ainda que, em bebês e recém-nascidos, outros sintomas costumam aparecer, como irritação, letargia, moleira saliente e reflexos anormais.

Quais os riscos da doença?
O quadro é muito grave, especialmente quando causado por bactérias. Nessa circunstância, de acordo com a OMS, uma em cada seis pessoas acaba morrendo, enquanto uma a cada cinco fica com sequelas, a exemplo de surdez e distúrbios cognitivos.

A entidade alerta que há casos de meningite bacteriana que podem levar à morte em 24 horas.

Quais os grupos de risco?
Pessoas de qualquer idade podem contrair meningite, mas, de acordo com a especialista, as crianças com menos de 2 anos são as mais afetadas e costumam desenvolver os quadros mais graves da doença.

Segundo a OMS, há ainda tipos de meningite que são especialmente perigosos para diferentes grupos etários, como idosos, adolescentes e jovens adultos.

Existe tratamento?
O tratamento varia de acordo com o micro-organismo causador da doença. No caso da meningite provocada por bactérias, o tratamento consiste no uso de antibióticos - que deve ser feito o quanto antes, de acordo com a infectopediatra.

"Nos casos virais, que costumam ser menos graves, não há remédios específicos para o combate da doença, então tratamos os sintomas", descreve.

De qualquer maneira, quando houver suspeita de meningite, o paciente deve buscar auxílio médico o quanto antes.

Como prevenir?
A principal forma de prevenir a meningite é a vacinação. O Ministério da Saúde disponibiliza cinco vacinas contra a doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS) - algumas para grupos específicos.

São elas: a pneumocócica 10-valente (conjugada), a vacina meningocócica C (conjugada) e a BCG, disponíveis para crianças menores de 5 anos, além da pentavalente, que protege também contra outras infecções e está disponível para crianças com até 7 anos, e da meningocócica ACWY (conjugada), disponível para adolescentes de 11 a 14 anos de idade, a depender da situação vacinal.

 

Veja também

Aiatolá Khamenei anuncia cinco dias de luto no Irã pela morte do presidente Raisi
MUNDO

Aiatolá Khamenei anuncia cinco dias de luto no Irã pela morte do presidente Raisi

Líderes globais reagem à morte do presidente do Irã, após acidente de helicóptero
MUNDO

Líderes globais reagem à morte do presidente do Irã, após acidente de helicóptero

Newsletter