Metrô inicia nesta terça-feira sistema de integração temporal

TI Recife começa amanhã o controle na entrada de passageiros que usam o equipamento. Intuito é evitar evasão de recursos como acesso irregular

Usuários terão que usar VEM para validar a  integração entre os  modais ônibus e metrôUsuários terão que usar VEM para validar a integração entre os modais ônibus e metrô - Foto: Julya Caminha

Começa nesta terça-feira o sistema de integração temporal no Terminal Integrado do Recife. O terminal passa a funcionar exclusivamente com o sistema e o passageiro deverá embarcar apenas com o cartão VEM (Trabalhador, Estudante, Comum, Livre Acesso ou Passe Livre).

Com a mudança na operação, ao desembarcar do metrô em direção ao terminal, os usuários terão de passar o cartão VEM em um dos validadores instalados nas catracas de acesso ao TI e embarcar no ônibus, sem o pagamento de uma nova tarifa. Quem chega ao terminal em um ônibus e precisa pegar o metrô, terá de sair por uma portaria recém instalada na lateral do terminal e entrar novamente na Estação. Os usuários dos ônibus das linhas 101 - Circular (Conde da Boa Vista), 104 - Circular (IMIP), 107 - Circular (Cabugá/Prefeitura), 116 - Circular (Príncipe) e 117 - Circular (Prefeitura/Cabugá), que compõem o TI Recife, terão de sair por uma portaria recém instalada na lateral do terminal e entrar novamente na Estação do Metrô.

Leia também:
Estudantes ocupam Metrô do Recife em ação de combate ao bullying
Linha Centro do Metrô apresenta problema na manhã desta quinta-feira 

A medida é tomada para evitar a evasão de recursos do metrô. De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), cerca de quatro mil pessoas utilizam o transporte sem pagar, utilizando de estratégias como entrar pelos portões da garagem do Terminal Integrado. A alternativa, além de ilegal, apresenta o risco de causar acidentes.

“Tem muita invasão aqui. Entram uns trinta de vez, rapidinho”, comentou o cobrador da linha Circular/Príncipe, Antônio Paulo, 48. “Agora as pessoas podem comprar o VEM comum com os cobradores das linhas que param aqui no Terminal Integrado do Recife. Custam R$ 10, mas já vem com R$ 10 de crédito. Ou seja, o cartão é gratuito. Em dinheiro, não há mais integração.” Karina Kelly, 39, pegou o metrô na estação do Barro, já utilizando o VEM, e esperou um ônibus para a Avenida Cruz Cabugá. Não é possível fazer o percurso somente com ônibus ou metrô. Ela vê as pessoas que entram no Terminal sem pagar e concorda que é preciso fazer uma mudança. “Para mim não vai fazer diferença, porque já faço tudo o que exigem. Mas acho que vai melhorar o sistema, que perde muito dinheiro com as invasões no Terminal, então, sou a favor.”

Karina foi informada da mudança pela reportagem da Folha. Ainda não tinha ouvido falar na integração temporal. O mesmo ocorreu com todos os outros passageiros com quem a reportagem da Folha conversou. O Grande Recife Consórcio de Transporte informou que há uma ação educativa no local até hoje. A ação não estava acontecendo na tarde da última quinta-feira, quando Karina ia à Cruz Cabugá e Rubens Elon, 41, vinha de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, para visitar o pai no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). “Eu paguei R$ 1,60 no metrô em Cavaleiro e, com esse dinheiro, chego no Centro. Eu não sabia que agora não vou mais poder fazer isso, vai ficar mais complicado para mim”, explicou.

A expectativa dos usuários, que desconheciam a mudança, é de que o fluxo na passagem da plataforma o metrô para a do ônibus seja atrapalhado terça-feira. No sentido contrário da integração, os ônibus já estão realizando uma parada em frente ao corredor que levará os passageiros à revalidação do vem e, em seguida, à plataforma dos metrôs. Só depois é que o ônibus para completamente no estacionamento da Integração. 

Veja também

Com ressalvas, TCE aprova contas de Doria e cobra transparência em gastos com Coronavac
São Paulo

Com ressalvas, TCE aprova contas de Doria e cobra transparência em gastos com Coronavac

Decreto de Bolsonaro libera militares da ativa em cargos do governo por tempo indeterminado
Militares

Decreto de Bolsonaro libera militares da ativa em cargos do governo por tempo indeterminado