Coronavírus

México confirma primeiro caso de variante ômicron da Covid-19

O primeiro caso positivo da variante ômicron no México é de uma pessoa de 51 anos da África do Sul

Sequenciamento genético em amostra positiva para a Covid-19Sequenciamento genético em amostra positiva para a Covid-19 - Foto: Miva Filho/SES-PE

Leia também

• OMS: não há morte vinculada à variante ômicron até o momento

• Oslo tem 17 casos suspeitos da variante ômicron após festa

• Mundo impõe cada vez mais medidas contra variante ômicron, que pode se tornar dominante na Europa

O governo mexicano confirmou, nesta sexta-feira (3), o primeiro caso da nova variante ômicron do coronavírus em um cidadão sul-africano que chegou ao país em 21 de novembro. 

"O primeiro caso positivo da variante ômicron no México é de uma pessoa de 51 anos da África do Sul. Ele tem a forma leve da doença e foi internado voluntariamente em um hospital privado na Cidade do México para evitar o contágio", disse o subsecretário de Saúde, Hugo López-Gatell, em mensagem no Twitter. Ele também disse que o paciente havia se vacinado com o esquema completo da Pfizer.

O paciente "apresentou sintomas característicos de Covid-19 leve" seis dias após sua chegada, informou o Ministério da Saúde em um comunicado. 

Com isso, recebeu atendimento médico em instituição privada no dia 29 de novembro e, no dia seguinte, o Instituto de Diagnóstico e Referência Epidemiológica (InDRE) iniciou a análise de sua amostra, segundo autoridades.

Durante sua avaliação médica "ele se manteve estável com uma saturação de 95%", acrescentou a secretaria. 

O México é, depois do Brasil, o segundo país da América Latina a detectar a nova variante. 

Anteriormente, o presidente Andrés Manuel López Obrador havia se referido à possibilidade de um primeiro caso de ômicron no México e afirmou que "isso não significa que haja mais riscos", já que as vacinas "protegem contra todas as variantes". 

Durante sua conferência de imprensa matinal, o presidente de esquerda reafirmou que o México manterá suas fronteiras abertas. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira que não há registro por enquanto de nenhuma morte ligada à ômicron. 

A nova variante, considerada preocupante pela OMS, foi detectada pela primeira vez na África austral, mas desde que as autoridades sul-africanas alertaram o mundo da sua descoberta, em 24 de novembro, foram registados casos da ômicron em cerca de 30 países de todos os continentes. Entre eles estão infecções associadas a viagens para o sul da África, mas também transmissão local.

A pandemia no México se estabilizou há um mês e a vida social está cada vez mais intensa. O México tem 3,9 milhões de infecções confirmadas e 294.715 mortes, segundo dados oficiais. É o quarto país mais afetado pela emergência sanitária em números absolutos, embora sua taxa de mortalidade por 100.000 habitantes seja a vigésima terceira do mundo.

Veja também

Peregrinos brasileiros visitam a cidade do primeiro milagre reconhecido pela Igreja Católica
Itália

Grupos de peregrinos brasileiros visitam a cidade onde aconteceu o primeiro milagre reconhecido pela Igreja Católica; saiba onde é 

Em discurso de posse, novo presidente de Taiwan pede paz e fim das "intimidações" da China
mundo

Em discurso de posse, novo presidente de Taiwan pede paz e fim das "intimidações" da China

Newsletter