Michel Temer acompanhou chegada dos corpos em Chapecó

Sob forte chuva e muita emoção, corpos das vítimas são velados em Santa Catarina

Vereador foi entrevistado no Folha Política desta terça.Vereador foi entrevistado no Folha Política desta terça. - Foto: Arthur de Souza

O presidente Michel Temer acompanhou, na manhã deste sábado (3), a chegada dos corpos das vítimas da tragédia aérea da última terça (29). Depois de várias crítivas, Temer decidiu ir ao funeral coletivo na Arena Condá. O presidente da República chegou a Chapecó (SC) por volta das 9h e inicialmente participaria apenas de uma cerimônia de honras fúnebres no aeroporto. Temer disse que não avisou antes que participaria do velório porque não queria causar transtornos aos familiares, já que sua presença demanda um esquema de segurança rigoroso.

"Na verdade eu não poderia dizer antes porque se eu dissesse a segurança ia colocar pórtico na entrada do estádio, iria revistar as pessoas que entram. Por isso eu só comuniquei que iria agora, para facilitar a vida de todos", disse.

Foi sob forte chuva e muita emoção que os corpos das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense chegaram na Arena Condá

Foto: Foi sob forte chuva e muita emoção que os corpos das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense chegaram na Arena Condá
Créditos: Agência Brasil

Foi sob forte chuva e muita emoção que os corpos das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense chegaram na Arena Condá, por volta das 10h. Soldados do Exército formaram um corredor por onde passaram os caixões, que estavam cobertos com um pano branco com o símbolo da Chapecoense e uma faixa com o nome de cada uma das vítimas. O primeiro e o último caixão retirados receberam uma salva de tiros.

Do aeroporto, os caixões foram colocados em caminhões abertos que fizeram um cortejo pelas ruas da cidade.

Veja também

Letalidade menor da Covid-19 eleva dúvidas sobre confinamentos, diz epidemiologista
Entrevista

Letalidade menor da Covid-19 eleva dúvidas sobre confinamentos, diz epidemiologista

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica
América Latina

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica