Vacinação

Ministério da Saúde deve aplicar terceira dose de vacina contra Covid-19 em adolescentes

Com a medida, os jovens deverão receber uma terceira dose de Pfizer quatro meses após a segunda

Vacina da Pfizer contra a Covid-19Vacina da Pfizer contra a Covid-19 - Foto: Geovana Albuquerque/Agência de Saúde/DF

O Ministério da Saúde planeja estender a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 a adolescentes de 12 a 17 anos. Com a medida, esses jovens deverão receber uma terceira dose de Pfizer quatro meses após a segunda. Atualmente, esse grupo recebe duas doses, que podem ser desse imunizante ou da CoronaVac.

Já há uma recomendação favorável de integrantes da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI-Covid) para o aval da pasta. Interlocutores ouvidos pelo Globo afirmam que a decisão final deve sair até o fim da próxima semana, em 27 de maio, quando voltam a debater o tema.

Até lá, o grupo deve reunir mais dados epidemiológicos que subsidiem a ampliação da dose de reforço para a faixa etária. Após a aprovação, o ministério deverá publicar uma nota técnica para orientar estados e municípios.

A orientação atual para adolescentes é de que apenas os imunossuprimidos — com câncer, HIV/Aids ou que receberam transplante, por exemplo — recebam a terceira e a quarta dose. O ministério liberou a aplicação dessa segunda dose de reforço em idosos a partir de 70 anos e em adultos imunodeprimidos.

Além da Pfizer, a CoronaVac também é liberada para crianças e jovens, mas a partir de 6 anos. A pasta, contudo, não a indica como opção para reforço dos adolescentes por induzir menor produção de anticorpos contra a Covid-19.

Veja também

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI
EUA

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio
Rio de Janeiro

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio