Ministério da Saúde habilita novos serviços em Pernambuco

Serão R$ 25 milhões destinados a seis municípios do Estado e aumento de leitos e melhorias na qualidade de tratamentos

Chega ao cinema filme baseado na série "Carcereiros" Chega ao cinema filme baseado na série "Carcereiros"  - Foto: Divulgação

O secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Francisco Figueiredo, assinou, no final da manhã desta quarta-feira (19), portarias de habilitação de novos serviços de saúde para Pernambuco. Serão R$ 25 milhões destinados a seis municípios do Estado e aumento de leitos e melhorias na qualidade de tratamento traumatológico, ortopédico, nutricional e doenças raras, entre outros.

O valor faz parte de um montante de R$ 1 bilhão economizados ao longo dos 100 primeiros dias do governo Temer e que agora são revertidos em investimentos no setor da saúde pública. "Temos um lema dentro da nossa gestão que é 'fazer mais com o mesmo'. Fizemos uma série de reajustes econômicos e, agora, conseguimos trazer estas melhorias", explicou Francisco Figueiredo.

De acordo com o secretário, para a economia, foram reduzidas despesas com aluguel de prédios, revisão de contratos, negociações na compra de medicamentos e vacinas, além de revisão em contratos. O secretário explicou, ainda, que este valor será dividido em 12 parcelas, anualmente, e será um adicional do que já é previsto para o orçamento da saúde no Estado. O secretário estadual de Saúde, Iran Costa, agradeceu à destinação de recursos. "Esta é a primeira vez, desde que assumi a secretaria há 22 meses que recebemos ajuda do governo federal. É um grande avanço", analisou. Além do Recife, as cidades de Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata e Vertentes também serão beneficiadas com estes recursos. 

Veja também

Banda de militares da Marinha realiza apresentação no Hospital Otávio de Freitas
Coronavírus

Banda de militares da Marinha realiza apresentação no Hospital Otávio de Freitas

Facebook, Google e Twitter param de responder a pedidos de Hong Kong sobre usuários
Mundo

Facebook, Google e Twitter param de responder a pedidos de Hong Kong sobre usuários