Pernambuco

Com aumento de casos, MPPE recomenda medidas mais rígidas no Plano de Convivência com a Covid

De acordo com as Promotorias de Saúde da Capital do MPPE, motivação é o aumento expressivo no número de casos de Covid-19

Alta procura no primeiro dia de funcionamento da testagem para Covid no Centro de ConvençõesAlta procura no primeiro dia de funcionamento da testagem para Covid no Centro de Convenções - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Em meio ao contínuo aumento de casos positivos de Covid-19 no estado, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), a reavaliação do atual Plano de Convivência, adotado no final de janeiro. A medida do MPPE foi tomada pelas 34ª e 11ª Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital, com atuação na Promoção e Defesa da Saúde. 

De acordo com a Recomendação Conjunta Nº 01/2022, são necessárias providências como não permitir aglomeração de pessoas em estabelecimentos comerciais, eventos sociais e culturais, com adoção de medidas restritivas mais severas do que as atuais.

A recomendação é que as medidas sejam tomadas enquanto durar o cenário atual de aumento exponencial de casos diários de Covid-19 e da taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermaria. 

"No atual momento de recrudescimento dos índices da Covid-19 no Estado, com elevação do número de casos positivos e, consequentemente, de óbitos pela doença, há grave risco à saúde pública gerado também pela permissão da realização de grandes eventos sociais, culturais e festivos", destacaram as promotoras de Justiça Helena Capela e Eleonora Marise Rodrigues, no texto da recomendação.

Também foi pedida à SES-PE a informação, no prazo de cinco dias, sobre o número de testes de Covid-19 realizados diariamente em cada centro de testagem, com indicação de percentual de testes positivos, além de consulta sobre os dados dos testes feitos em laboratórios privados e farmácias, para saber se os resultados estão sendo computados dentro das estatísticas oficiais.

Outra informação solicitada foi do número atual de leitos de UTI e de enfermaria para casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) adultos e pediátricos, que estejam em funcionamento e onde estão localizados. 

O documento do MPPE foi entregue ao secretário estadual de Saúde, André Longo, em audiência virtual realizada nessa última terça-feira (1). Foi dado um prazo de 72 horas para a Secretaria informar o acatamento ou não dos termos recomendados. O encontro contou com a participação de representantes da SES-PE e da Secretaria Municipal de Saúde de Recife; além do coordenador do CAO Saúde, Édipo Soares; das promotoras de Justiça Helena Capela e Eleonora Marise, que presidiram a audiência; e integrantes do MPPE.

Veja também

Um erro comum de skincare pode fazer você parecer mais velho
SAÚDE

Um erro comum de skincare pode fazer você parecer mais velho

Líderes israelenses criticam possíveis sanções dos EUA contra unidade militar ultraortodoxa
ISRAEL

Líderes israelenses criticam possíveis sanções dos EUA contra unidade militar ultraortodoxa

Newsletter