Ministro visita o Porto Social dias depois de chuvas danificarem o local

Água destruiu o forro de gesso, fiação elétrica, móveis, eletrodomésticos, computadores, aparelhos de ar condicionado, impressoras e documentos. Prejuízo foi orçado em R$ 200 mil

Visita do ministro Mendonça Filho ao Porto SocialVisita do ministro Mendonça Filho ao Porto Social - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O Porto Social, que teve parte de sua estrutura danificada devido às fortes chuvas, desde a última sexta-feira (9), recebeu, na manhã desta quinta-feira (15), a visita do ministro da Educação, Mendonça Filho. A água destruiu o forro de gesso, fiação elétrica, móveis, eletrodomésticos, computadores, aparelhos de ar condicionado, impressoras e documentos, com um prejuízo orçado em R$ 200 mil.

“A nossa Capital tem uma vocação inovadora no campo social e de educação. Infelizmente, minha visita coincidiu com esse momento, mas me coloco à disposição do Porto Social para que vocês possam restabelecer a normalidade do funcionamento", disse o ministro aos representantes de várias incubadoras.

Leia também:
Porto Social será apresentado ao Papa
Fernando Filho visita projeto Porto Social no Recife


Entre os projetos apresentados ao Ministro da Educação está a ação Amor e Esperança, que funciona em Nova Descoberta. "Nós já atendemos mais de 500 crianças com esse projeto que oferece assistência a educação complementar com reforço, aulas de música, contação de histórias, aulas de judô e outras atividades. Hoje não temos mais jovens envolvidos no tráfico de drogas. Nós também estendemos nosso atendimento as famílias, com várias oficinas", afirmou a representante do projeto Nadjane Cristina.

O acesso do público ao prédio do Porto Social está suspenso por tempo indeterminado. Por enquanto, as atividades vão acontecer no prédio da Interne Educação, no térreo do endereço do Porto, localizado na rua Marques Amorim, nº 356, no bairro da Ilha do Leite, na área central do Recife.

No site do Porto Social é possível fazer doações de qualquer valor para ajudar na reconstrução e na compra dos equipamentos perdidos. Nas primeiras 24 horas foram arrecadados R$ 15 mil reais.

Segundo o presidente do Porto Social, Fabio Silva, a visita já estava programada antes das chuvas que danificaram a estrutura. Em relação a possíveis parcerias do Porto com o MEC, o gestor afirmou que, caso ocorram, tornariam a aceleradora mais forte. "Somos a primeira incubadora e aceleradora do Brasil. Quem sabe a partir dessa nossa missão e propósito, o Ministério da Educação possa realizar uma parceria para que possamos ampliar o atendimento, ajudar ainda mais as organizações sociais e, devido tudo que a gente viveu com as chuvas, quem sabe também possam nos ajudar", disse.

"As mensagens de apoio não param de chegar, mas nosso projeto é muito maior que a parte física, nós trabalhamos com sonhos", pontuou Silva.

Projeto
O Porto Social é a primeira incubadora de projetos sociais do Brasil. Inaugurada em maio de 2016, já capacitou 85 projetos e oferece cursos livres voltados para empreendedorismo social e gestão estratégica de projetos sociais. Mais de cem mil pessoas são beneficiadas indiretamente pela instituição.

Considerado referência em todo o Brasil, o Porto Social capacita, ao longo do ano, dezenas de pessoas de vários estados, que participam de cursos em busca de orientação para criar e qualificar projetos sociais

Veja também

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana
Mariana

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana