Mundo

Mobilização contra o passaporte de vacinação decai na França

Os protestos reuniram 54 mil pessoas em todo o país, segundo o Ministério do Interior

Pessoas usando máscara na FrançaPessoas usando máscara na França - Foto: Thibaud Moritz / AFP

Milhares de pessoas voltaram a se manifestar neste sábado (15) na França contra o passaporte de vacinação de combate à Covid-19, porém, a mobilização foi menos significativa do que na semana anterior.

Os protestos reuniram 54 mil pessoas em todo o país, segundo o Ministério do Interior. Um número muito longe dos mais de 105 mil do sábado anterior, que se caracterizou por uma recuperação muito clara das manifestações.

Em Paris, a maior concentração começou nas proximidades da Torre Eiffel, convocada pelo candidato presidencial de extrema direita Florian Philippot.

Durante o ato, uma equipe de videojornalistas da AFP foi ameaçada de morte e agredida, e um dos seguranças que os protegia foi ferido na cabeça.

Outras passeatas ocorreram em cidades como Bordeaux, Toulouse ou Lille. Em vários incidentes, quatro pessoas foram presas na capital e seis na província.

"Não à vacina" e "liberdade para Djokovic", gritavam alguns manifestantes, referindo-se ao tenista número um do mundo que quer participar do Aberto da Austrália sem estar vacinado e cujo visto de entrada foi anulado pelas autoridades.

Nos cartazes, via-se mensagens contra o passaporte sanitário, mas também contra as vacinas: "Não é um vírus que eles querem controlar, é você", dizia uma faixa em Paris. Outra, em Rennes, denunciava uma "vacina tóxica".

"É nazismo, é apartheid, não me vacinei e sou contra as vacinas em geral", declarou Claire, uma manifestante de 60 anos em Paris.

Neste sábado, entra em vigor uma medida que desativará o passaporte sanitário de milhares de pessoas que não receberam a dose de reforço nos sete meses seguintes à primeira dose.

O documento, que permite o acesso a espaços públicos como bares e restaurantes, será transformado num “passaporte de vacinação” sob uma lei que está sendo debatida no Parlamento.

O passe atual incluía a possibilidade de apresentar teste negativo para covid-19 ou ter superado recentemente a doença. O novo passaporte só funcionará com um esquema de imunização completo.

Veja também

Teve dengue, zika ou chikungunya recentemente? Saiba quando você pode doar sangue
DOAÇÃO DE SANGUE

Teve dengue, zika ou chikungunya recentemente? Saiba quando você pode doar sangue

Alagoano de 36 anos é preso em Xexéu, na Mata Sul, suspeito de estuprar duas crianças
Mata Sul

Alagoano de 36 anos é preso em Xexéu, na Mata Sul, suspeito de estuprar duas crianças