Coronavírus

Morador de Fernando de Noronha é internado com suspeita de Covid-19; outro residente testou positivo

Os dois trabalham no setor de serviços da Ilha; um foi transferido para a Capital pernambucana e o outro, atendido em hospital do arquipélago

O homem de 28 anos precisou ser socorrido e trazido ao RecifeO homem de 28 anos precisou ser socorrido e trazido ao Recife - Foto: Divulgação

Um morador de Fernando de Noronha, funcionário de uma empresa de mergulho, deu entrada, na noite da quarta-feira (21), no Hospital São Lucas, com quadro de insuficiência respiratória aguda grave. O homem, de 28 anos, precisou ser internado e intubado. Depois, foi encaminhado, em uma unidade de salvamento aéreo, ao Recife, onde ficará internado em uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital de referência da rede estadual de saúde, de acordo com a assessoria de imprensa da Ilha. Tudo indica que a situação do paciente é decorrente da Covid-19, mas ainda não há confirmação laboratorial. É aguardado o resultado do exame.

Na terça-feira (20), um outro morador da Ilha, que trabalha no setor de bares e restaurantes, foi diagnosticado com Covid-19, segundo boletim da Administração do arquipélago divulgado na quarta-feira (21). De acordo com a gestão, o paciente também foi atendido no Hospital São Lucas com sintomas da doença.

Após o diagnóstico positivo, o morador infectado foi isolado, cumpre quarentena e o caso segue sendo monitorado. Os contactantes do homem também permanecem em monitoramento. Ainda não é possível determinar como o morador foi contaminado, segundo a Administração. 

De acordo com o infectologista e professor da Universidade de Pernambuco (UPE) Demócrito Miranda Filho, após a confirmação deste caso, é preciso reforçar o trabalho de vigilâcia. "Quando surge um primeiro caso assim, não é possível afirmar que é transmissão comunitária. Se algum parente dessa pessoa adoecer de fato podemos dizer que há", explica o médico.
 

"Pode ter sido contaminado de fora, mas podemos dizer que o vírus foi introduzido na ilha. As ações de vigilância precisam conter. É preciso ver se o vírus se disseminou. Fica o alerta", acrescentou Demócrito. 

Transmissão comunitária do coronavírus ocorre quando não é possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre as pessoas.

Histórico
Este é o primeiro caso de morador infectado com o novo coronavírus em Fernando de Noronha desde 22 de abril, quando a Administração confirmou os últimos dois casos de residentes da ilha contaminados com a Covid-19. 

O descarte das últimas suspeitas de contaminação em Noronha foi feito em 9 de maio, quando a Ilha zerou pela primeira vez os pacientes com casos ativos da doença. O arquipélago foi totalmente fechado em 20 de abril e apenas moradores e servidores eram autorizados a desembarcar, sob protocolos específicos. 

Os demais casos de moradores infectados foram confirmados pelo estudo epidemiológico em curso na ilha ou eram residentes que chegaram à Noronha em voos restritos. Todos esses registros foram após a Ilha zerar os casos ativos pela primeira vez. Ao todo, Noronha zerou os casos em cinco ocasiões.

Em 1º de setembro, o turismo foi reaberto apenas para pacientes já diagnosticados e curados da Covid-19. Desde 10 de outubro, o protocolo mudou e mesmo quem não teve a doença pode desembarcar em Noronha. Para isso, é preciso fazer um teste RT-PCR antes do embarque.

Veja também

Aulas presenciais na rede municipal de Ipojuca voltarão apenas em 2021
Educação

Aulas presenciais na rede municipal de Ipojuca voltarão apenas em 2021

Covid-19 gera avalanche de financiamentos bilionários para vacinas
Mundo

Covid-19 gera avalanche de financiamentos bilionários para vacinas