Moradores de Brasília Teimosa acham mais peças do Globocop

Entre o material, estava o que os populares acreditam ser parte do painel do helicóptero

Moradores da área acham mais peças do GlobocopMoradores da área acham mais peças do Globocop - Foto: Reprodução/WhatsApp

Moradores de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife, recuperaram, nesta terça-feira (30), mais peças do Globocop, que caiu a 30 metros da faixa de areia da praia, no último dia 23. Entre o material, estava o que os populares acreditam ser parte do painel do helicóptero. Profissionais do Segundo Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II) já haviam sentido falta da peça quando deram início às apurações do ocorrido, uma vez que esse item é importante para definir o que pode ter causado o acidente.

Os responsáveis pelo achado dos destroços contaram que decidiram entrar na água, na manhã desta terça, porque a maré estava baixa, chegando a apenas um metro de profundidade no ponto em que houve a queda do helicóptero. Nas horas seguintes ao acidente, na semana passada, também foram moradores da localidade os que recolheram a maior parte das peças da aeronave. Só depois, mergulhadores contratados pela empresa Helisae, dona do helicóptero que prestava serviço à TV Globo, é que fizeram esse trabalho.

No início da tarde desta terça, uma caminhonete da Aeronáutica esteve na praia de Brasília Teimosa e recolheu os destroços encontrados nas últimas horas. "O que achamos estava no mesmo lugar onde o helicóptero caiu, só que hoje a maré estava mais baixa. Tinha coisas já enterradas", contou  o desempregado Erivaldo Xavier, 25 anos, um dos que participaram do resgate dos destroços.

Leia também:
Sobrevivente da queda do Globocop, Miguel precisa de sangue
Piloto do Globocop é enterrado sob aplausos e depoimentos emocionados
Veja quem são as vítimas do acidente com o Globocop na Zona Sul Recife



Além da peça que seria componente do painel de controle do helicóptero, também foram achadas mais partes da fuselagem, fios e um dos esquis, estrutura que dá sustentação ao toque do helicóptero no chão nos momentos de pouso. O material deve ser analisado pelo Seripa II, que, na semana passada, já havia emitido uma nota solicitando que qualquer pessoa que encontrasse destroços da aeronave entrasse em contato com a instituição.

O acidente deixou dois mortos: o piloto Daniel Galvão, 36 anos, e a primeiro sargento da Aeronáutica Lia Maria Abreu de Souza, 34. Nesta terça, foi realizada uma missa em homenagem ao piloto. Já o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, 21, foi o único sobrevivente da queda do helicóptero e segue internado em estado grave no Hospital da Restauração, no Recife.

Veja também

Covid-19: governo anuncia ações de proteção a crianças e adolescentes
governo

Covid-19: governo anuncia ações de proteção a crianças e adolescentes

Museu da Língua Portuguesa propõe uso da palavra para lidar com a dor
geral

Museu da Língua Portuguesa propõe uso da palavra para lidar com a dor