Moro diz que não é contra proteção a presos, mas soltura de quem cometeu crimes de corrupção e grave

A manifestação foi feita em resposta ao editorial do jornal Folha de S.Paulo publicado nesta quarta-feira (15) sobre a redução da superlotação dos presídios como forma de combater a doença

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio MoroMinistro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou, em nota à Folha de S.Paulo, que não é contrário a medidas de proteção aos presos durante a pandemia do coronavírus. A manifestação foi feita em resposta ao editorial do jornal publicado nesta quarta-feira (15) sobre a redução da superlotação dos presídios como forma de combater a doença. O editorial diz que Moro rechaçou propostas de punições alternativas a presos em grupo de risco e sem histórico de crimes violentos.

Leia também:
Moro afirma que ninguém está preocupado com popularidade na pandemia
Justiça revoga liminar que permitia soltar presos com mais de 60 anos

Leia a íntegra da nota:
"Em relação ao editorial 'Aliviar as prisões', publicado no jornal Folha de S. Paulo desta quarta-feira, 15 de abril, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esclarece que não é contrário às medidas de proteção aos presos. O alerta do MJSP sempre foi no sentido de que dever-se-ia, na aplicação da recomendação do CNJ, evitar a soltura de presos perigosos, assim entendidos, os que teriam cometido crimes com grave violência contra pessoas, os membros de organizações criminosas e, também, os responsáveis por graves crimes de corrupção, a fim de prevenir, no último caso, sentimento de impunidade.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Depen, está adotando todas as medidas sanitárias e precauções no sistema prisional, que estão ao seu alcance, de forma a evitar o contágio de presos e preservar vidas. Mas isso sem deixar de lado a preocupação com a segurança pública dos cidadãos que nunca cometeram crimes e que, portanto, não merecem correr riscos provocados por um eventual aumento da criminalidade, em tempos já conturbados com as restrições provocadas pela pandemia de Covid-19."

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Imagem da rainha Elizabeth isolada em funeral do marido gera comoção nas redes sociais
Família Real

Rainha Elizabeth isolada em funeral do marido gera comoção

Mariana: pesquisadores encontram metais tóxicos em peixes do Rio Doce
Mariana

Mariana: pesquisadores encontram metais tóxicos em peixes do Rio Doce