A-A+

Morre Brunninha, a menina do Rio Grande do Norte que fez transplante no Recife

Brunna Silveira Lopes não resistiu às complicações do transplante de coração

Brunninha, que sofre de uma cardiopatia grave, foi transplantada no RecifeBrunninha, que sofre de uma cardiopatia grave, foi transplantada no Recife - Foto: Reprodução/Instagram

A menina Brunna Silveira Lopes, de 7 anos, morreu na tarde deste domingo (7) em decorrência das complicações de uma cardiopatia grave. Ela estava em estado grave após passar por um transplante de coração.

Na última quarta-feira (3), ela veio para o Recife, trazida em um voo da Força Área Brasileira saído do Rio Grande do Norte, para fazer um transplante de coração no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip).

A operação aconteceu na madrugada da quinta e, no mesmo dia, ela passou por uma nova cirurgia para conter um sangramento.

Por meio de nota, o Imip informou o falecimento. “A criança, portadora de uma cardiopatia muito grave, deu entrada no IMIP na quarta-feira (03.04), após a instituição ter sido acionada pelo Sistema Nacional de Transplante. Durante o período, o IMIP prestou toda a assistência necessária para a criança e para a família dela”, diz a nota.

Leia também:
‘Agradeço a todos que ajudaram minha filha’, diz mãe de Brunninha após transplante
Após apelo de médico nas redes, menina potiguar faz transplante de coração no Recife

Brunna tinha um problema chamado de "transposição das grandes artérias" e vivia graças à uma máquina de "oxigenação por membrana extracorpórea", conhecida como ECMO. Até que, devido a complicações, ela entrou na prioridade máxima da fila de transplante e conseguiu passar pela cirurgia com mais de 20 profissionais envolvidos.

Ela morava com a família em Serrinha, no Agreste do Rio Grande do Norte, e chegou à capital pernambucana acompanhada da mãe, Núbia Barbosa, de 46 anos. Os três irmãos mais velhos, assim com o pai, também já haviam vindo para o Recife acompanhar de perto Brunna.

 

Veja também

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano
Coronavírus

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais
RECIFE

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais