LUTO

Morre Eliseu Neto, ativista liderou ação que criminalizou homofobia

Informação foi divulgada pelo partido Cidadania

Morre Eliseu Neto, ativista responsável por ação no STF que criminalizou homofobia no Brasil Morre Eliseu Neto, ativista responsável por ação no STF que criminalizou homofobia no Brasil  - Foto: Reprodução/Cidadania

O psicanalista, psicólogo e ativista pelos direitos da comunidade LGBTQIA+ Eliseu Neto, 45 anos, morreu nesta terça-feira (21).  A informação foi divulgada pelo Cidadania, partido ao qual Eliseu era filiado.


Em nota, a Comissão Executiva Nacional da sigla lamentou a "perda de forma precoce e irreparável" do ativista.

A nota lembra que ele liderou a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) no Supremo Tribunal Federal (STF), que resultou na criminalização da homofobia no Brasil, equiparando-a ao crime de racismo. Eliseu atuou ainda pelo fim da proibição de doação de sangue por homossexuais.

O documento afirma ainda que “sua dedicação e comprometimento com a justiça e a igualdade foram exemplares". "Sentiremos profundamente sua faltas, mas seu legado continuará a inspirar nossa luta por uma sociedade mais justa e inclusiva”, diz o partido.

Não foram divulgados local e horário do velório e enterro.

Veja também

Substância química em milhares de produtos pode acelerar envelhecimento, diz estudo; saiba qual é
Prevenção

Substância química em milhares de produtos pode acelerar envelhecimento, diz estudo; saiba qual é

Os 5 arrependimentos de pessoas à beira da morte e o que eles revelam sobre felicidade
SAÚDE

Os 5 arrependimentos de pessoas à beira da morte e o que eles revelam sobre felicidade

Newsletter