COTIDIANO

Morte de Fidel Castro também foi lamentada no Recife

Há mais de seis mil quilômetros de distância de Havana, cubanos rememoraram lembranças de sua terra natal e choraram a perda do ex-presidente

Urna eletrônicaUrna eletrônica - Foto: José Cruz/Agência Brasil

A morte de Fidel Castro também foi lamentada no Recife. Há mais de seis mil quilômetros de Havana, cubanos que moram na capital pernambucana rememoraram lembranças de sua terra natal e choraram a perda do ex-presidente. Foi um final de semana fúnebre para aqueles que gostariam de estar com seu povo para se unir às homenagens póstumas e que, no eterno julgamento desta figura tão controversa, votam por sua absolvição.

Morando no Brasil há quase três anos, o casal Nancy Sanchez, 43, e Alejandro Rivero, 50, pareciam não acreditar na notícia. “No fundo, a gente pensasse que ele fosse imortal. Há muito tempo, ele virou uma lenda. Quase nunca era visto, mas a gente sabia e esperava que continuasse ali no seu escritório atento a tudo”, disse Nancy que faz pós-doutorado na UFPE.

“Nossa família em Cuba está passando por um momento triste. Minha mãe e meu padrasto são muito identificados com o processo revolucionário cubano e Fidel significa muito para eles”, disse Alejandro. Nancylembrou ainda da infância, quando Fidel comandava a pequena ilha. “Cresci escutando as pessoas falar dele com admiração. Era um verdadeiro líder, até para dar exemplo para que as pessoas parassem de fumar, ele também parou”.

Em meio ao luto, o casal é otimista com o futuro. “Muitas coisas se transformaram com Raúl. Acredito que depois da tristeza em Cuba, a vida continue pelos caminhos naturais, mas esperamos que nunca percamos a soberania como país que ele conseguiu”, concluiu a matriarca.

Veja também

Professora da Unicap é acusada de racismo
Racismo

Professora da Unicap é acusada de racismo

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG
animais

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG