Mortes por coronavírus em 24 horas nos EUA disparam e chegam a 1.894

Essa recuperação eleva o total de vítimas fatais da pandemia para 82.246 nos Estados Unido

Equipe médica socorre paciente em Nova IorqueEquipe médica socorre paciente em Nova Iorque - Foto: Spencer Platt / Getty Images North America vi

O número de mortes de coronavírus em 24 horas nos Estados Unidos subiu para 1.894 na terça-feira (12) após dois dias de queda, informou a Universidade Johns Hopkins em seu relatório diário às 20H30, horário local.

Essa recuperação eleva o total de vítimas fatais da pandemia para 82.246 nos Estados Unidos, onde menos de 1.000 óbitos em 24 horas foram registrados na segunda e domingo pela primeira vez desde o início de abril. A principal potência do mundo também registra quase 1,37 milhão de casos desde o início da pandemia.

Leia também:
Vice-presidente dos EUA "mantém distância" de Trump, segundo a Casa Branca
Taxa de desemprego dos Estados Unidos tem pior resultado desde a Grande Depressão

Os Estados Unidos, o país mais afetado do mundo em números absolutos, atingirão 113.000 mortes em 6 de junho, de acordo com a média de 20 modelos epidemiológicos feitos por pesquisadores da Universidade de Massachusetts.

O presidente Donald Trump não esconde seu desejo de colocar a economia americana em funcionamento o mais rápido possível, mas o chefe de imunologia da Casa Branca, Anthony Fauci, alertou nesta terça sobre as consequências "muito sérias" de um desconfinamento apressado.

"Estamos caminhando na direção certa, mas a direção certa não significa que estamos no controle total dessa epidemia", alertou Fauci durante uma videoconferência no Senado americano.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

China usa teste anal com cotonete para detectar Covid-19 e diz que técnica é mais precisa
Testagem

China usa teste anal com cotonete para detectar Covid-19 e diz que técnica é mais precisa

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC
Economia

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC