Motoristas de transportes alternativos protestam em vias de Pernambuco

O motivo das manifestações é a reivindicação de motoristas de transportes alternativos que buscam do Estado leis de regularização e regulamentação da categoria

As manifestações acontecem na PE-60, em Sirinhaém, na Zona da Mata Sul; nos dois sentidos do km 22 da BR-101, próximo a Goiana; e no sentido Recife da BR-408, em São Lourenço da MataAs manifestações acontecem na PE-60, em Sirinhaém, na Zona da Mata Sul; nos dois sentidos do km 22 da BR-101, próximo a Goiana; e no sentido Recife da BR-408, em São Lourenço da Mata - Foto: Divulgação/PRF

Três protestos foram registrados na manhã desta segunda-feira (9) em diferentes vias de Pernambuco, causando congestionamento e transtornos aos motoristas. O motivo das manifestações é a reivindicação de motoristas de transportes alternativos que buscam do Estado leis de regularização e regulamentação da categoria.

As manifestações aconteceram na PE-60, em Sirinhaém, na Zona da Mata Sul; nos dois sentidos do km 22 da BR-101, próximo a Goiana, na Região Metropolitana do Recife (RMR); e no sentido Recife da BR-408, em São Lourenço da Mata, também na RMR.

Leia também:
Grupos de caminhoneiros fazem protestos pontuais por tabela do frete
Protesto de rodoviários interdita vias no Centro do Recife
ONGs europeias organizam protestos pela Amazônia em frente a embaixadas brasileiras

Os manifestantes que estavam na BR-408 seguiram para a avenida Abdias de Carvalho, no Recife. Os motoristas reivindicam a regulamentação da atividade e protestaram contra a lei 13.855/2019, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em julho. A lei, publicada no Diário Oficial da União, entra em vigor em 9 de outubro e classifica o transporte alternativo como infração gravíssima, podendo o motorista ser punido com multa, perda de sete pontos na carteira de habilitação e apreensão do veículo.

Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro classifica o transporte ilegal de pessoas e bens como infração média. A lei é baseada em projeto apresentado pelo deputado federal por Pernambuco Daniel Coelho.

De acordo com o motorista Humberto Mendonça, um dos representantes dos manifestantes, a nova legislação prejudica cerca de 16 mil pessoas que trabalham com transporte alternativo no estado de Pernambuco. Segundo Humberto, a legislação é excessivamente dura: “Estamos buscando a regularização da nossa profissão. Já passamos por transtornos quando 12 colegas que trabalham conosco no TIP (Terminal Integrado de Passageiros) foram encaminhados para a delegacia”, afirmou.

Os motoristas seguiram para o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, onde foram recebidos pelo secretário-executivo de Defesa Civil, José Maurício. A categoria entrou em acordo com o Governo do Estado, que prometeu fazer cadastrar os motoristas como transporte autorizado para que se adequem à lei.

À frente do protesto na PE-60, o presidente da Associação de Transporte Alternativo de Carros Pequenos do Litoral Sul de Pernambuco, Márcio Manuel, reitera o que a categoria reivindica. "Queremos a regularização do transporte alternativo de carro pequeno de 4 e 6 lugares. Amanhã [terça-feira, 10] temos um encontro com o deputado estadual Joel da Harpa que está interessado em nos ajudar", explicou. O protesto na via começou por volta das 5h e terminou cerca de 4 horas depois, às 9h.

Segundo o representante da Associação dos Motoristas Autônomos de Timbaúba, na Mata Norte, o governo do estado se comprometeu a licenciar a categoria para que seja enquadrada na lei federal. Os condutores têm até o dia 20 de setembro para se cadastrarem. "Agora com a reivindicação passamos a ser reconhecidos pela Casa Civil e pela EPTI (Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal)", conta.

Veja também

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália
Mundo

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo
Ciência

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo