Motoristas do Uber saem em carreata pelo Recife

Mobilização tem como objetivo chamar atenção para a tramitação do Projeto de Lei 5587, que deve entrar na pauta da Câmara dos Deputados na terça-feira (27)

Manifestação de motoristas de aplicativoManifestação de motoristas de aplicativo - Foto: Arthur Mota / Folha de Pernambuco

Dezenas de motoristas de aplicativos de transporte individual privado, como Uber e 99Pop, saíram em carreata a partir do Centro de Convenções, em Olinda, na manhã desta segunda-feira (26). A mobilização tem como objetivo chamar atenção para a tramitação do Projeto de Lei 5587, que deve entrar na pauta da Câmara dos Deputados na terça-feira (27) e, a depender do voto dos parlamentares, pode ser aprovada de maneira considerada danosa para a categoria.

Os motoristas pretendem passar pela avenida Cruz Cabugá, Parque Treze de Maio, avenida Guararapes, rua da Aurora, até chegar ao Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife. Na sede do Governo do Estado, a categoria pretende entregar um documento em que pede o empenho do governador Paulo Câmara para sensibilizar a bancada federal na Câmara para a importância da manutenção da modalidade.

A mobilização é acompanhada por policiais militares e por agentes de trânsito da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU). "Nossa reivindicação é que o projeto de lei seja aprovado da maneira como voltou do Senado. É mais brando, respeita o direito de escolha do cidadão e o dos trabalhadores de terem sua renda", afirmou Thiago Silva, motorista do Uber e um dos organizadores da mobilização em Pernambuco.

Leia também:
Juiz suspende decreto que institui taxa e regulamenta Uber e Cabify em BH
Justiça libera Uber, Cabify e 99 para atuar com carros de fora de São Paulo


A pauta teve origem na Câmara, ainda em 2016, e foi aprovada com uma série de restrições ao serviço. No Senado, porém, acabou sofrendo vetos, o que fez cair por terra, por exemplo, a exigência de que os veículos do Uber e similares tenham placas vermelhas e sejam submetidos ao licenciamento das prefeituras, como acontece com os táxis.

Os senadores aprovaram ainda veto à regra que proibia que carros usados para o transporte individual privado estivessem no nome de outra pessoa que não fosse o motorista, o que inviabilizaria que automóveis locados de empresas ou cedidos por amigos ou parentes dos operadores rodassem pelos aplicativos.

Como sofreu modificações no Senado, o projeto de lei terá que voltar à Câmara. Na mobilização desta segunda, que é nacional, os motoristas pedem que os deputados aprovem a matéria com os vetos. O deputado federal Daniel Coelho (PSDB) e integrantes de outros movimentos favoráveis aos aplicativos estiveram no ato em Pernambuco. "A aprovação da lei, naquele formato, viraria proibição no outro dia. Nossa luta amanhã será não para que a lei não seja aprovada, mas para que seja aprovada sem os itens [que prejudicam a categoria]", disse Coelho.

Motorista do Uber há um ano e quatro meses, Roudenelle Arruda, 38 anos, lembrou que as restrições à modalidade afetariam 22 mil condutores em Pernambuco. "Essa foi minha saída para o desemprego. Se isso acabar, vou voltar à estaca zero", avaliou.

Veja também

Escolas particulares protestam por retorno das aulas presenciais
Educação

Escolas particulares protestam por retorno das aulas presenciais

Idosa morre depois de transferência do Hospital de Bonsucesso, no Rio
Rio de Janeiro

Idosa morre depois de transferência do Hospital de Bonsucesso, no Rio