MPPE cobra da Compesa normalização de abastecimento em Olinda

Companhia tem até 60 dias para apresentar medidas emergenciais em relação às irregularidades no bairro de Jardim Fragoso Alto

Torneiras secas e baldes cheios se tornaram rotina entre moradores de vários bairros da cidadeTorneiras secas e baldes cheios se tornaram rotina entre moradores de vários bairros da cidade - Foto: Mandy Oliver

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) tem até 60 dias para apresentar ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) um cronograma com as medidas emergenciais a serem tomadas em relação às irregularidades no abastecimento de água no bairro de Jardim Fragoso Alto, em Olinda. O problema foi mostrado há seis dias pela reportagem da Folha de Pernambuco

A recomendação é resultado da audiência pública ocorrida nesta quarta-feira (16), na sede das Promotorias de Justiça de Olinda, na avenida Pan-Nordestina, no município. A Compesa se comprometeu em verificar o problema nesta quinta-feira (17) para, então, apresentar as providências a serem tomadas ao MPPE.

De acordo com o relato dos moradores, o problema ocorre há seis meses e, para realizar tarefas básicas do dia a dia, como escovar os dentes, tomar banho, cozinhar ou lavar roupa, a única solução é alugar carros-pipa. Conforme os moradores, quando o calendário marca o dia de chegar água às casas, a falta de pressão mantém as torneiras vazias.

Veja também

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas
Terrorismo

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas

Anvisa se reúne com laboratório da vacina Sputinik V
Covid-19

Anvisa se reúne com laboratório da vacina Sputinik V