Mulher é presa aplicando golpe em papelarias de Pernambuco e outros dez estados

A suspeita, de 37 anos, foi presa em flagrante em Maranguape I, Paulista, no momento em que aplicava o golpe em uma papelaria de Afogados

Delegado Igor LeiteDelegado Igor Leite - Foto: Rodrigo Barros

Uma mulher de 37 anos foi presa em casa, em Maranguape I, Paulista, Região Metropolitana do Recife (RMR), suspeita de aplicar golpes em papelarias de Pernambuco e em pelo menos outros dez estados do país. Alessandra Vicente Gomes de Assunção se passava por dona de escolas para conseguir resmas de papel e depois revender a preços abaixo do mercado, alegando ser uma empresa falida.

Após receber o material das papelarias ela efetuava depósitos falsos e foi exatamente depois de aplicar mais um golpe, em um estabelecimento de material escolar de Afogados, na última sexta-feira (15), que ela foi presa na própria casa em flagrante pela polícia. “O modus operandi era sempre o mesmo. Recebemos a denúncia de uma papelaria e aguardamos ela solicitar novamente as resmas para efetuar a prisão em flagrante”, contou o delegado Igor Leite, titular da Delegacia de Afogados, à frente das investigações.

Leia também:
Polícia desarticula ponto ilegal de venda de combustível na Zona da Mata Sul
Preso suspeito de transmitir HIV à esposa e impedir tratamento
Morre suspeito de assalto a carro-forte no Recife

De acordo com a polícia, o golpe era aplicado há pelo menos três anos, e o dinheiro da venda das resmas era depositado na conta de parentes de Alessandra. O delegado do caso estima que o prejuízo causado às vítimas pode chegar à casa dos milhões de reais. Ainda de acordo com Igor Leite, a família não sabia da prática ilícita e o esposo dela, por exemplo, achava que o dinheiro era proveniente da venda de "quentinhas".

Além de Pernambuco, a suspeita praticava o golpe nos estados de Sergipe, Ceará, Alagoas, Paraíba, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Após a prisão em flagrante ela foi encaminhada para audiência de custódia e em seguida presa preventivamente, seguindo para a Colônia Penal Feminina do Recife, no bairro do Engenho do Meio, Zona Oeste do Recife. Alessandra Vicente Gomes de Assunção deve responder pelo crime de estelionato e apropriação.


Veja também

Bolsonaro insiste em tratamento precoce e volta a lançar desconfiança sobre Coronavac
Negacionismo

Bolsonaro insiste em tratamento precoce e volta a lançar desconfiança sobre Coronavac

Falta de insumo da China ameaça vacinas do Butantan e da Fiocruz
Saúde

Falta de insumo da China ameaça vacinas do Butantan e da Fiocruz