Mulher é presa no Rio por simular sintomas do coronavírus para furar fila

De acordo com informações da Polícia Civil, houve grande comoção na UPA e foram postos em prática os protocolos internacionais para o tratamento do vírus

UPA de CopacabanaUPA de Copacabana - Foto: Reprodução / Facebook

Uma mulher foi presa neste sábado (8) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, após dizer que tinha viajado para Hong Kong e simular os sintomas do coronavírus, que já matou mais de 700 pessoas na China.

Segundo a Polícia Civil, agentes da 12ª DP (Copacabana) a prenderam em flagrante, acusada do crime de falsidade ideológica e da contravenção de “provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto”.

Ela esperava por atendimento prioritário na UPA e disse aos agentes de saúde que havia viajado como babá de uma família e estava apresentando os sintomas associados ao novo coronavírus.

Leia também:
Número oficial de mortos na China por novo coronavírus chega a 722
Chega a 64 número de infectados em cruzeiro no Japão


De acordo com informações da Polícia Civil, houve grande comoção na UPA e foram postos em prática os protocolos internacionais para o tratamento do vírus. A mulher foi isolada e submetida a exames. As vigilâncias sanitárias estadual e municipal foram informadas e notificaram o Ministério da Saúde.

Como familiares da paciente disseram que ela não havia viajado e não tinha passaporte, o que foi confirmado pela Polícia Federal, ela recebeu voz de prisão dentro da UPA. Após ser desmentida pelos familiares, a paciente admitiu que inventou a história para receber atendimento prioritário na unidade de saúde.

Veja também

Alemanha quer restringir voos com Brasil, Reino Unido, África do Sul e Portugal
Covid-19

Alemanha quer restringir voos com Brasil, Reino Unido, África do Sul e Portugal

É preciso se preparar para a próxima pandemia como para a guerra, alerta Bill Gates
Covid-19

É preciso se preparar para a próxima pandemia como para a guerra, alerta Bill Gates