droga

Mulher se despede de roqueiro morto com DJ e artista após "overdose coletiva" nos EUA: "Tudo dói"

Polícia encontrou os corpos em apartamento e apreendeu objetos voltados ao consumo de drogas

Músico José Luis Vasquez, do projeto Soft Moon, ganha homenagem da esposa no InstagramMúsico José Luis Vasquez, do projeto Soft Moon, ganha homenagem da esposa no Instagram - Foto: Reprodução/Instagram

A mulher do roqueiro Jose "Luis" Vasquez, força criativa por trás do projeto Soft Moon, usou as redes sociais para se despedir do marido, morto por suspeita de overdose de fentanil. O corpo do músico foi encontrado por policiais no apartamento de Los Angeles onde o DJ John "Juan" Mendez, mais conhecido como Silent Servant, vivia com a companheira, a artista visual Simone Ling.

Os três foram achados já sem vida, depois que a mulher de Vasquez acionou as autoridades e pediu que fossem até o imóvel ver se o marido estava bem. Objetos ligados ao consumo de drogas foram localizados e apreendidos para a investigação do caso. Fontes da polícia local contaram ao jornal Los Angeles Times que a ocorrência é tratada como uma overdose de fentanil.

Pelo Instagram, a mulher de Vasquez confirmou que o marido, a quem classificou como "luz da minha vida", tinha partido. Ela ressaltou que não tinha forças para citar as razões pelas quais amava o roqueiro.

"Tudo dói. Eu vim aqui para agradecer vocês pelo amor e pelo apoio que estão nos mostrando. Não consigo falar muito mais. Eu só queria que vocês soubessem o quanto ele se importava com vocês", afirmou Marion, em mensagem dirigida aos fãs do projeto Soft Moon.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por The Soft Moon | Luis Vasquez (@the_soft_moon)

Ao LA Times, o capitão Raul Jovel, chefe da Divisão Central da Polícia de Los Angeles, lamentou a ocorrência. Ele afirmou que o departamento chega a apurar cinco mortes por overdose por dia.

"É muito triste para suas famílias" disse ele. "Esta é uma questão social".

De acordo com o Departamento de Exame Médico do Condado de Los Angeles, a confirmação da causa da morte ainda deve levar de três a seis meses.

 

Veja também

Os antigos egípcios podem ter realizado uma cirurgia cerebral para remover câncer há 4.000 anos
ciência

Os antigos egípcios podem ter realizado uma cirurgia cerebral para remover câncer há 4.000 anos

A dois meses das eleições na Venezuela, cresce incerteza sem observação da UE
mundo

A dois meses das eleições na Venezuela, cresce incerteza sem observação da UE

Newsletter