Multas e blitze caem após cortes na PRF

Autuações encolheram 28%, e as fiscalizações, 34%, desde 10 de julho, quando escassez de recursos atingiram serviços da instituição

Ações dos policiais são necessárias para prevenir acidentesAções dos policiais são necessárias para prevenir acidentes - Foto: Arthur Mota/Arquivo Folha

A redução de serviços anunciada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) após um cor­­te de 44% no orçamento da instituição começa a manifestar seus efeitos. De 10 de julho até a última quinta-feira (10), primeiro mês de vigência da medida, o número de pessoas ou veículos fiscalizados nas rodovias federais que cor­­tam Pernambuco foi 34% menor que o registrado no mesmo período de 2016. Já o total de autuações caiu 28,14%.

Destaque também pa­­­ra a redução de 8,6% no quantitati­­vo de testes de alcoolemia, importantes para tirar de circulação condutores embriagados e prevenir acidentes. O balanço foi obtido pela Folha de Pernambuco junto à PRF.

Leia também:
PRF suspende patrulhamento e fecha postos nas estradas por falta de verba


Em números absolutos, o total de multas caiu de 11.051 para 7.941, nos períodos comparados. O de testes de alcoolemia passou de 6.378 para 5.826, e o de prisões por embriaguez ao volante, de oito para quatro. Na con­­tramão, cresceu levemente a quantidade de multas por crime de trânsito, de 103 para 114.

As informa­­ções são preliminares, segundo a PRF. A partir de dados divulgados dia­­riamente pela instituição no Twitter, também é possível contabi­­lizar o total de acidentes, que per­­maneceu praticamente inalterado - passou de 234 para 237.

As limitações ao trabalho dos poli­­­ciais rodoviários em decorrência da escassez de recursos fica mais evidente quando se analisa as aborda­­gens nas rodovias. Em julho e agos­­to de 2016, 25.231 pessoas foram fiscalizadas em blitze, número que caiu para 16.605 desde o último dia 10 de julho (-34,18%). A redução do total de veículos fiscalizados é simi­­lar - despencou de 25.412 para 16.653 (-34,46%).

"São números que a gente lamenta, porque a questão das multas, a presença dos po­­liciais nas rodovias, tudo tem efeito pedagógico para evitar aci­­den­­tes", diz o presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado, Frederico França.

Segundo o representante, a maioria dos 15 postos da instituição em Pernambuco está funcionando com apenas uma viatura, até duas a menos que as empregadas antes, e as equipes são orientadas a sair das bases só em casos de acidentes com vítimas ou outras situações de emergência. "Na prática, os policiais não podem mais circular como antes nas rodovias. Todo o trabalho preventivo está zerado", afirma.

O contingenciamento foi estabe­­lecido pelo Decreto 9.018/2017, que limitou a aquisição de combustível e pagamentos de manutenção e diárias. Na época, o Ministério do Planejamento explicou que a medi­­da foi tomada para "assegurar o cumprimento das metas fiscais" e que tratativas seriam feitas para so­­­lucionar o impasse.

Quando o cor­­te foi anunciado, a PRF esclareceu que, a partir de 10 de julho, o atendimento na sede do Reci­­fe e nas delegacias regionais pas­­saria a ocorrer das 8h às 12h - antes, era das 9h às 17h -, mas assegurou o expediente por 24 horas nos postos.

Sobre os dados divulgados à Folha, a assessoria de comunicação da PRF no Estado afirmou que "o contingenciamento contribuiu para essa redução" e que a instituição tem trabalhado pela recomposição orçamentária necessária para garantir a prestação de seus serviços.

Veja também

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco
Coronavírus

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco
Coronavírus

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco