Abrigos lotam na Flórida em corrida frenética para se proteger do Matthew

Os postos de gasolina na costa já não tinham mais combustível e os supermercados esgotaram vários itens

A Festa A Festa  - Foto: Internet / Reprodução

Os abrigos do leste da Flórida estavam lotados nesta quinta-feira (6), em uma corrida contra o relógio para salvar pessoas e animais de estimação do "potencialmente desastroso" furacão Matthew, que promete devastar a costa com ventos de categoria 4, ou mesmo 5 - nível máximo da escala.

Leia Mais
Furacão Matthew leva empresas aéreas a cancelar voos entre Brasil e EUA

Furacão Matthew sobe para categoria 4 ao se aproximar dos EUA


Em St. Augustine, um balneário fundado no século XVI no litoral leste, o maior dos abrigos já estava no limite de sua capacidade de 500 pessoas, espalhadas em colchonetes na quadra de basquete. E, apesar do nervosismo, muitos aproveitavam para socializar, especialmente crianças e idosos. Mais de dois milhões de americanos foram chamados para evacuar Flórida, Geórgia e Carolina do Sul. Desses, 1,5 milhão de moradores da costa leste da Flórida receberam a orientação de deixar o litoral.

Os postos de gasolina na costa já não tinham mais combustível; os supermercados esgotaram seus estoques de bateria, lanterna e outros itens de primeira necessidade; os hotéis não têm mais quartos; e conseguir alimentos enlatados é tarefa praticamente impossível. Nos balneários de Jacksonville Beach e Atlantic Beach, o vento já é forte, e a chuva deixa pouca visibilidade para dirigir. As cidades estavam desertas.

Depois de deixar mais de 100 mortos no Caribe, o furacão Matthew chega nesta quinta-feira (6) à noite a Palm Beach - 100 km ao norte de Miami - com ventos de 220 Km/h, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês). Seu impacto na Flórida será "potencialmente desastroso" e "os ventos nos prédios altos serão, em média, uma escala mais alta aos ventos na superfície", alertou o NHC.

Veja também

Entre arrependidos, jovens e latinos, Biden pode conquistar o Arizona
EUA

Entre arrependidos, jovens e latinos, Biden pode conquistar o Arizona

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro