Agente que denunciou Trump deve prestar depoimento nesta semana

O presidente norte-americano está sendo acusado de pressionar seu par ucraniano a investigar Hunter Biden, candidato democrata à eleição presidencial de 2020 e adversário político de Trump

Donald TrumpDonald Trump - Foto: Iudovic Marin/AFP

O informante anônimo que denunciou a ligação entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o da Ucrânia, Volodimir Zelenski, deve falar nesta semana perante o Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados norte-americana.

O órgão é o principal encarregado pelas investigações sobre a conversa responsável por detonar o processo de impeachment contra o republicano.

O presidente norte-americano está sendo acusado de pressionar seu par ucraniano a investigar Hunter Biden, filho de Joe Biden, candidato democrata à eleição presidencial de 2020 e adversário político de Trump.

Leia também:
Trump diz querer encontrar delator que detonou processo de impeachment
Trump repete roteiro de 2016 para tentar embaralhar processo de impeachment

Segundo a acusação, o líder americano teria atrasado a liberação uma ajuda militar de cerca de US$ 400 milhões para pressionar Zelenski a conduzir a investigação contra o filho do democrata. O dinheiro teria sido liberado apenas após a ligação que se tornou centro da denúncia, em que Trump menciona ao presidente ucraniano as acusações contra Biden.

As negociações para que o depoimento aconteça foram confirmadas pelo democrata Adam Schiff, presidente do Comitê de Inteligência, no domingo (29).

Segundo informações do jornal The New York Times, o informante é um agente da CIA e está sob proteção federal. O nome do agente não foi divulgado pelo jornal.

Na noite de domingo, Trump disse, em publicação no Twitter, que quer encontrar o delator que tornou público o conteúdo de sua conversa com Zelenski. O mandatário americano afirmou merecer encontrar seu acusador, que teria apresentado sua ligação de maneira "imprecisa" e "fraudulenta".

Veja também

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte

Mustapha Adib, terceiro primeiro-ministro a jogar a toalha em um Líbano em crise
Líbano

Mustapha Adib, terceiro primeiro-ministro a jogar a toalha em um Líbano em crise