Ai Weiwei instalará cercas em Nova York para denunciar inutilidade dos muros

Através deste projeto, o artista chinês quer lembrar que "apesar de que as barreiras são utilizadas para nos dividir, todos somos parecidos"

O artista chinês dissidente Ai Weiwei colocará dezenas de cercas em Nova York no início de outubro para gerar uma reflexão sobre como os muros dividem as pessoas e marcam fronteiras.

A instalação, intitulada "Good fences make good neighbors" (Boas cercas fazem bons vizinhos), chega em um momento em que o presidente Donald Trump ordenou a construção de um muro ao longo da fronteira com o México e busca proibir a entrada de cidadãos de vários países muçulmanos nos Estados Unidos.

O nome da instalação é o último verso de "Mending Wall" (Reparar o muro) do americano Robert Frost, um poema que reflete sobre a inutilidade de uma cerca divisória entre dois vizinhos.

Através deste projeto, o artista chinês, que mora em Berlim mas viveu em Nova York de 1983 a 1993, quer lembrar que "apesar de que as barreiras são utilizadas para nos dividir, todos somos parecidos".

"A cerca sempre foi um instrumento de manejo político do território", e "evoca associações com palavras como 'fronteiras', 'segurança' e 'vizinho', que estão vinculadas ao clima político atual", disse Ai em um comunicado.

Algumas das cercas serão colocadas em lugares emblemáticos de Nova York, como a praça Doris C. Freedman, no extremo sudeste do Central Park, a escola de arquitetura e engenharia Cooper Union, no East Village, e em estações de ônibus, indicou a Public Art Fund, fundação que solicitou a instalação, em um comunicado.

Veja também

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira
Capitólio

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump