Algumas pessoas infectadas pelo Ebola não têm sintomas, diz estudo

Segundo um estudo publicado nesta terça-feira, cientistas detectaram anticorpos que neutralizam o vírus Ebola no sangue de alguns indivíduos

Jorge Waquim é filósofo pela Universidade Paris Nanterre e tradutor. Jorge Waquim é filósofo pela Universidade Paris Nanterre e tradutor.  - Foto: Divulgação

Catorze pessoas infectadas pelo vírus Ebola em Serra Leoa nunca ficaram doentes, constataram especialistas, quase um ano depois do fim da epidemia mais mortal desta febre hemorrágica no oeste da África.

Segundo um estudo publicado nesta terça-feira, cientistas detectaram anticorpos que neutralizam o vírus Ebola no sangue destes indivíduos, indicando que foram infectados no passado.

Doze das catorze pessoas disseram não ter tido nenhum sintoma durante o período de transmissão ativa em suas comunidades.

As outras duas lembram ter tido apenas febre quando o vírus se manifestou na região.

O vírus Ebola, que causa febre, vômitos e diarreia severa, deixou mais de onze mil mortos em dois anos e gerou pânico em todo o mundo devido à sua periculosidade. A Organização Mundial da Saúde anunciou neste ano o fim da epidemia da doença na África ocidental.

O estudo confirma suspeitas anteriores de que a severidade dos sintomas de uma infecção pelo vírus Ebola varia e que algumas pessoas não apresentam qualquer sinal da doença, destacou o doutor Gene Richardson, da Universidade de Stanford, na Califórnia, principal autor da pesquisa.

Veja também

Trump ataca revolução cultural "de esquerda" no Monte Rushmore
Estados Unidos

Trump ataca revolução cultural "de esquerda" no Monte Rushmore

Indonésia enfrenta possível explosão da natalidade após a pandemia
Notícias

Indonésia enfrenta possível explosão da natalidade após a pandemia