Após protestos convocados pelas redes sociais, parte do Iraque tem internet cortada

Desde quarta-feira (2), as redes sociais deixaram progressivamente de estar acessíveis em Bagdá e no sul do país, onde ocorreram protestos

Nove pessoas morreram em protestos no IraqueNove pessoas morreram em protestos no Iraque - Foto: Hussein FALEH / AFP

A conexão à internet foi cortada em grande parte do Iraque nesta quinta-feira, no terceiro dia de manifestações convocadas pelas redes sociais, devido a restrições decididas pelos provedores, segundo um site especializado. Desde quarta-feira, as redes sociais deixaram progressivamente de estar acessíveis em Bagdá e no sul do país, onde ocorreram protestos. Os manifestantes indicaram que não podiam se comunicar online ou publicar imagens.

Desde então, as restrições se estenderam à rede de internet como um todo, tornando o Iraque um país "amplamente isolado" do mundo, de acordo com o NetBlocks, um observatório internacional de acesso à internet.

Na manhã de quinta-feira, cerca de 75% do país não tinha acesso à internet, depois que as operadoras Earthlink, Asiacell e Zain "cortaram intencionalmente" o acesso à internet, disse a NetBlocks. O norte do país, incluindo a região autônoma do Curdistão, dominada por outra operadora, não foi afetado pelos cortes.

Leia também:
Manifestações no Iraque já fizeram ao menos nove mortos
Ataque deixa 12 mortos em uma cidade santa xiita no Iraque
União Europeia pode obrigar Facebook a apagar publicações difamatórias

Durante um movimento social que ocorreu no sul do país durante o verão de 2018, as comunicações via internet e telefônicas com o exterior foram cortadas. Naquele momento, o acesso às redes sociais também foi banido e a conexão de rede foi completamente cortada.

As autoridades iraquianas ainda não comentaram a desconexão de três quartos do país, onde foram estabelecidos toques de recolher em várias cidades.

Veja também

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS
HIV

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS

Em reunião virtual com Fernández, Biden diz querer 'relação sólida' com América Latina
América

Em reunião virtual com Fernández, Biden diz querer 'relação sólida' com América Latina