Mundo

Arábia Saudita confirma morte de jornalista desaparecido na Turquia

O jornalista Jamal Khashoggi estava desaparecido desde que entrou no consulado de seu país em Istambul, no início deste mês

A versão do governo é que uma briga entre Khashoggi e pessoas que o atenderam no consulado levou à sua morteA versão do governo é que uma briga entre Khashoggi e pessoas que o atenderam no consulado levou à sua morte - Foto: Ozan Kose/AFP

A Arábia Saudita confirmou a morte do jornalista Jamal Khashoggi, que está desaparecido desde que entrou no consulado de seu país em Istambul no início deste mês, e informou que demitiu um oficial da inteligência e prendeu 18 pessoas ligadas ao caso. Segundo a TV estatal Ekhbaria, resultados preliminares da investigação mostram que o jornalista está morto.

A versão do governo é que uma briga entre Khashoggi e pessoas que o atenderam no consulado levou à sua morte. O procurador saudita afirmou que Ahmed El Asiri foi demitido de sua função no serviço geral de inteligência e que as investigações continuam.

Leia também:
Trump nega estar acobertando sauditas por desaparecimento de jornalista
Número de jornalistas mortos nas Américas chega a 29 neste ano
Atentados terroristas matam seis jornalistas em Cabul
Jornalistas japonesas se mobilizam contra assédio sexual
Morre o jornalista e radialista Gil Gomes, aos 78 anos

T
ambém foi informado que o rei Salman ordenou a criação de um comitê ministerial, chefiado pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, para reestruturar a agência geral de inteligência do país. Jamal Khashoggi, crítico do regime saudita e colaborador do Washington Post, compareceu à representação diplomática em 2 de outubro para questões burocráticas e nunca mais foi visto. A Turquia acusa Riad pelo crimes, mas as autoridades sauditas negam.


Entenda o caso do jornalista saudita desaparecido
2 de outubro -  O jornalista entra no consulado da Arábia Saudita em Istambul e não sai de lá
6 de outubro - Investigadores turcos dizem que principal hipótese é de assassinato
8 de outubro - Turquia pede acesso ao prédio; Riad aceita, mas países divergem sobre condições
9 de outubro - Começa boicote de empresas e jornalistas a eventos de sauditas
10 de outubro - Imprensa divulga imagens de sauditas vindos ao país no dia do sumiço
12 de outubro - Turquia diz ter gravações do homicídio e esquartejamento do jornalista
17 de outubro - Policiais turcos fazem buscas na casa do cônsul saudita em Istambul, que teria testemunhado a ação
19 de outubro - A TV estatal saudita Ekhbaria confirma a morte do jornalista

 

Veja também

Austrália vai às urnas e pesquisas apontam derrota do governo conservador
Mundo

Austrália vai às urnas e pesquisas apontam derrota do governo conservador

"Só restam pedras", dizem os refugiados ucranianos que esperam retornar
refugiados 

"Só restam pedras", dizem os refugiados ucranianos que esperam retornar