Argentina não paga dívida e entra em moratória técnica

Em acordo com os credores, a Argentina prorrogou as negociações até dia 2 de junho. No total, o país tem uma dívida de US$ 65 bilhões

Presidente Alberto FernándezPresidente Alberto Fernández - Foto: Juan Carlos CARDENAS / ARGENTINA'S SENATE / A

Apesar de querer evitar o termo "moratória", o governo argentino anunciou, na noite de quinta-feira (21), que não pagará o vencimento de juros da dívida externa que vencem nesta sexta-feira (22), no valor de US$ 503 milhões.

Em acordo com os credores, o país prorrogou as negociações até dia 2 de junho. No total, o país tem uma dívida de US$ 65 bilhões.

O ministro da economia, Martín Guzmán, prefere falar em "reestruturação" ou em "default técnico". A Argentina pediu aos credores três anos de "graça", ou seja, sem pagar nada, e um desconto de 62% dos juros e de 5,4% de capital.

Um dos fundos para quem a Argentina deve, o Greylock, afirmou, por meio de teleconferência, que "é visível que existe um desejo de resolver as negociações", e que isso era bem visto pelos outros fundos.

Leia também:
Argentina desenvolve teste rápido para detectar coronavírus
Argentina apresenta proposta protecionista ao Mercosul

Em visita à província de Santiago del Estero, o presidente Alberto Fernández afirmou que vem lendo nos jornais que a Argentina corre o risco de entrar em moratória, mas que "já está em moratória desde meses atrás, antes mesmo de assumir a Presidência".

O mandatário tem colocado à frente da questão econômica a luta contra a pandemia do coronavírus, decretando uma quarentena severa em 20 de março, agora prorrogada até, pelo menos, dia 7 de junho.

"Uma economia morta pode-se levantar, um corpo morto, não", tem repetido quando indagado sobre a situação do país -que vem emitindo dinheiro para ajudar a população carente que ficou sem trabalho- e já vinha de uma desaceleração de 2,2% do PIB e uma inflação de 55%, desde 2019.

"Não vamos aumentar tarifas nem submeter os argentinos a um sofrimento pelo qual não devem passar", disse.

Veja também

Portaria restringe entrada de estrangeiros no país
Coronavírus

Portaria restringe entrada de estrangeiros no país

Novo lote com 300 mil doses da vacina da Janssen chega ao Brasil
Vacina

Novo lote com 300 mil doses da vacina da Janssen chega ao Brasil