Assessor de segurança de Trump é investigado por contatos com Rússia

Segundo o Wall Street Journal, não estão claras nem as descobertas da investigação, nem se ela segue em andamento

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald TrumpO presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump - Foto: Don Emmert/AFP

Um conselheiro de segurança de alto escalão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está sob vigilância da contrainteligência, depois que foi provado que manteve comunicações com funcionários da Rússia, revelou o jornal Wall Street Journal no domingo.

O jornal reportou que o conselheiro de Segurança Nacional, o general reformado Michael Flynn, que prestou juramento ao seu cargo no domingo, é investigado como parte das operações de contrainteligência das comunicações entre membros do governo russo e o círculo próximo a Trump.

Segundo o Wall Street Journal, não estão claras nem as descobertas da investigação, nem se ela segue em andamento.

O jornal The Washington Post informou recentemente que Flynn telefonou para o embaixador da Rússia em Washington, Serguei Kislyak, em várias ocasiões em 28 de dezembro, um dia antes de o então presidente Barack Obama anunciar novas sanções contra Moscou, acusado de interferir na última eleição, vencida por Trump.

O porta-voz de Trump, Sean Spicer, confirmou a conversa entre Kislyak e Flynn, mas disse que "girou em torno da logística para facilitar um telefonema entre o presidente russo (Vladimir Putin) e o presidente eleito após sua posse".

Veja também

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)
Estados Unidos

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários
Privacidade

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários