Ataque dos EUA na Somália mata 60 militantes islamitas shebab, diz Pentágono

Considerado maior ofensiva contra militantes islamitas em quase dois anos, o ataque aéreo aconteceu na última sexta

Os Estados Unidos lançaram na última sexta-feira (12) seu maior ataque aéreo em quase dois anos contra militantes islamitas na Somália, leste da África, resultando na morte de 60 combatentes do grupo armado Al-Shabaab, informaram nesta terça-feira (16) as Forças Armadas Americanas.

"Este ataque aéreo de precisão foi a maior incursão aérea contra o Al-Shabaab desde 21 de novembro de 2017", quando aviões americanos atacaram campos de treinamento do grupo islamita e mataram uns cem extremistas, destacou o Comando Americano para a África, em um comunicado.

Leia também:
Opositor acusado de suposto ataque contra Maduro morre na prisão na Venezuela
Ministros de China e EUA trocam farpas em Pequim


O ataque foi executado na sexta-feira na região de Harardhere, ao longo da costa central do Chifre da África, onde as forças americanas treinam as tropas somalis e também estão associadas com a Missão da União Africana, apoiada pela ONU na Somália.

O ataque aéreo de sexta-feira ocorreu um dia antes de terroristas suicidas matarem pelo menos 16 pessoas em um restaurante-cafeteria da cidade de Baidoa, no sudoeste do país.

Também foi realizado às vésperas do primeiro aniversário do atentado com um caminhão-bomba que deixou mais de 500 mortos em Mogadíscio, o pior ataque na Somália, atribuído ao Al-Shabaab.

Veja também

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU
Mundo

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)
Estados Unidos

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)