Atentado de Berlim: polícia italiana faz batida em antigas residências de Anis Amri

Anis Amri foi morto em Milão, na madrugada de 23 de dezembro, em uma blitz de rotina, após ser caçado pela Polícia por mais de três dias

RobóticaRobótica - Foto: Brenda Alcântara

A Polícia italiana fez uma batida em dois imóveis, onde o tunisiano Anis Amri - suspeito de ter cometido o recente atentado com caminhão em Berlim - teria ficado por um ano - informou uma fonte policial à AFP, nesta quarta-feira (28).

Os dois lugares revistados ficam na cidade italiana de Aprilia, ao sudeste de Roma, disse a Polícia, sem dar detalhes sobre a operação.

Anis Amri foi morto em Milão, na madrugada de 23 de dezembro, em uma blitz de rotina, após ser caçado pela Polícia por mais de três dias. Nesse intervalo, o jovem de 24 anos transitou de carro pela Holanda, antes de passar pela França e chegar à Itália.

Antes de se mudar para a Alemanha, em julho de 2015, o jovem tunisiano passou quatro anos preso na Itália, onde pode ter reencontrado contatos na prisão.

Nesta quarta-feira (28), a Polícia alemã anunciou a detenção, no país, de um possível contato de Anis Amri. Uma batida aconteceu na casa e na loja de um cidadão tunisiano.

Veja também

Colômbia pode impor restrições a quem não se vacinar, alerta ministro
América Latina

Colômbia pode impor restrições a quem não se vacinar, alerta ministro

Com 54% da população totalmente vacinada, Portugal alivia restrições contra a Covid-19
PANDEMIA

Com 54% da população totalmente vacinada, Portugal alivia restrições contra a Covid-19