Autoridades indianas adotam restrições para preservar Taj Mahal

Aumentos nas tarifas de visita foram adotados para limitar a frequência de pessoas no mausoléu

TAJ MAHALTAJ MAHAL - Foto: AFP

As autoridades indianas multiplicaram por cinco o preço da entrada no Taj Mahal para os visitantes locais, visando limitar o número de turistas e reduzir os danos causados ao monumento turístico mais importante da Índia.

O ingresso "tudo incluído" para o Taj Mahal, mausoléu construído no século XVII pelo imperador mongol Shah Jahan em memória de sua esposa Mumtaz Maha, passou de 50 rupias (0,70 dólar) para 250 rupias (3,50 dólares) para os turistas indianos, a maioria entre os cerca de 15 mil visitantes diários ao palácio .

Leia também:
Índia inaugura estátua mais alta do mundo
Abertura de templo hindu a mulheres provoca choques na Índia

O ingresso para turistas estrangeiros ao palácio de mármore branco da cidade de Agra, no norte da Índia, subiu de 16 para 19 dólares.

"Queremos que as pessoas paguem mais para limitar a frequência", explicou à AFP um membro do Serviço de Arqueologia da Índia, o órgão governamental responsável pela manutenção do monumento, visitado por cerca de 6,5 milhões de pessoas em 2016.

"Isto reduzirá o número de visitantes ao Taj Mahal em entre 15% e 20%, além de gerar os recursos necessários para sua conservação".

Veja também

Senadores republicanos barram votação de lei que garante acesso ao voto nos EUA
EUA

Senadores republicanos barram votação de lei que garante acesso ao voto nos EUA

Israel alerta para possível nova onda de coronavírus
Covid-19

Israel alerta para possível nova onda de coronavírus