Mundo

Barco naufraga após colisão com cruzeiro e deixa 7 mortos

O acidente aconteceu às 21H15 (16h15 de Brasília) de quarta-feira em uma zona muito popular para as viagens turísticas pelo rio Danúbio

Policiais e botes de resgate fazem ronda no local do acidente. Policiais e botes de resgate fazem ronda no local do acidente.  - Foto: FERENC ISZA / AFP

A polícia húngara abriu nesta quinta-feira (30) uma investigação criminal após o naufrágio, na quarta-feira à noite, de um barco que transportava turistas sul-coreanos no rio Danúbio, em Budapeste, uma tragédia que deixou sete mortos e 21 desaparecidos.

Durante uma entrevista coletiva nesta quinta-feira, a polícia da Hungria exibiu imagens das câmeras de segurança que mostram o momento em que o "Sirene", barco de 26 metros de comprimento que transportava os sul-coreanos, colide com o navio de cruzeiro Sigyn, da empresa norueguesa Viking.

"As imagens mostram que antes da colisão, o 'Sirene' girou em direção ao cruzeiro da Viking, por razões desconhecidas. O Viking fez o pequeno barco virar e este afundou em sete segundos", afirmou o coronel da polícia Adrian Pal.

Leia também:
Tremor de magnitude de 8,1 graus abala Noroeste do Peru
Terremoto no Peru deixa um morto e 26 feridos
Seis brasileiros morrem por acidente de gás no Chile

"Uma investigação foi aberta por negligência criminal em uma via navegável pública", anunciou Pal. A polícia estava interrogando o capitão ucraniano do cruzeiro.

O acidente aconteceu às 21H15 (16H15 de Brasília) de quarta-feira em uma zona muito popular para as viagens turísticas pelo rio Danúbio, de onde se pode avistar a cidade e o prédio iluminado do Parlamento.

As autoridades da Coreia do Sul e da Hungria anunciaram as mortes de sete passageiros do barco, que fazia um passeio pelo Danúbio na capital húngara, uma cidade que atrai muitos turistas de todo o mundo.

De acordo com o ministério das Relações Exteriores sul-coreano, 33 cidadãos do país estavam a bordo da embarcação, além de dois guias. Sete pessoas foram resgatadas. Entre os passageiros estava uma menina de seis anos. "Nossos serviços constataram a morte de sete pessoas", disse Pal Gyorfi, porta-voz dos serviços de resgate da Hungria.

"Sete pessoas foram hospitalizadas em situação estável com hipotermia e sintomas de comoção", completou. O porta-voz da polícia húngara, Kristof Gal, afirmou à AFP que "21 pessoas estavam desaparecidas". "A polícia realiza buscas ao longo do Danúbio, ao sul do local em que aconteceu o acidente", disse.

Mihaly Toth, porta-voz da empresa proprietária do barco, disse à agência de notícias húngara MTI que a embarcação não tinha problemas técnicos. "Era um passeio turístico de rotina. Não sabemos o que aconteceu. As autoridades estão investigando. Só sabemos que afundou rápido", declarou Mihaly Toth.

Fortes chuvas
Os trabalhos dos mergulhadores à procura dos desaparecidos prosseguiram durante a madrugada em uma ampla zona do rio, indicou Pal Gyorfi. As fortes chuvas que afetaram o país nos últimos dias elevaram os níveis das águas do rio e suas correntes, o que complica os trabalhos de resgate.

O aumento do nível do Danúbio - atualmente 507 centímetros em Budapeste, segundo as autoridades -, além das fortes correntes e da temperatura da água, entre 10 e 15 graus, dificultam as operações.

O barco foi encontrado após várias horas de buscas, próximo à ponte Marguerite, que liga a cidade antiga - Buda - ao distrito de Peste, segundo a imprensa local.

As autoridades bloquearam o acesso à zona da tragédia.

A ministra sul-coreana das Relações Exteriores, Kang Kyung-wha, deve chegar nesta quinta-feira a Budapeste com uma equipe para ajudar as autoridades húngaras.

O ministro húngaro da Saúde, Ildiko Horvath, visitou o local para manifestar suas condolências às famílias das vítimas. Também estavam presentes funcionários da embaixada da Coreia do Sul para ajudar nos serviços de resgate.

Veja também

EUA pressionam por cessar-fogo em Gaza com visita de diretor da CIA ao Egito e reunião de Biden com
ISRAEL X HAMAS

EUA pressionam por cessar-fogo em Gaza com visita de diretor da CIA ao Egito e reunião de Biden com

Mulher atira em megaigreja dos EUA, fere criança de 5 anos e é morta por policiais
HOUSTON

Mulher atira em megaigreja dos EUA, fere criança de 5 anos e é morta por policiais