Barco Open Arms resgata cerca de 300 migrantes no Mediterrâneo

O navio retomou no final de novembro as suas missões de salvamento no Mediterrâneo central, em frente à costa da Líbia, junto com outros barcos de ONGs

Barco com 629 migrantes flutua no Mar MediterrâneoBarco com 629 migrantes flutua no Mar Mediterrâneo - Foto: Karpov / SOS MEDITERRANEE / AFP

O barco humanitário Open Arms resgatou cerca de 300 migrantes em frente à costa da Líbia, anunciou nesta sexta-feira (21) o fundador da ONG espanhola que freta a embarcação. "Após 24 horas de nossa chegada ao Mediterrâneo, o Open Arms acaba de resgatar em alto-mar dois botes em perigo de naufrágio. Mais de 200 pessoas - homens, mulheres grávidas, crianças bebês", tuitou Oscar Camps, da ONG Proactiva Open Arms.

Mais tarde, anunciou o resgate de uma terceira embarcação com "29 mulheres, cinco crianças e 56 homens" a bordo. O navio retomou no final de novembro as suas missões de salvamento no Mediterrâneo central, em frente à costa da Líbia, junto com outros barcos de ONGs.

Leia também:
Naufrágio em frente à costa do Marrocos deixa 22 migrantes desaparecidos´
Mais de 2.000 imigrantes mortos no Mediterrâneo desde janeiro


Este itinerário da imigração clandestina é o mais fatal, com mais de 1.300 migrantes falecidos em sua tentativa de chegar à Itália ou a Malta desde o início do ano, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

Os barcos humanitários operam nesta região apesar da dura oposição do ministro do Interior italiano de extrema direita, Matteo Salvini, que fecha os portos a eles e os acusa de favorecer os traficantes de pessoas, e das reticências de Malta.

Outra ONG, a alemã Sea-Eye, também anunciou nesta sexta à noite a saída de Algeciras, no sul da Espanha, de um novo barco em direção à costa líbia, o "Professor Albrecht-Penck".

Uma parte dos 18 membros de sua tripulação é composta por antigos voluntários do Aquarius, o navio que no verão passado (no hemisfério norte) desencadeou uma crise diplomática entre os estados europeus e encerrou definitivamente as suas atividades no início de dezembro.

Veja também

Soldado dos EUA é preso por querer ajudar Estado Islâmico a atacar americanos
Terrorismo

Soldado dos EUA é preso por querer ajudar Estado Islâmico a atacar americanos

EUA supera as 400.000 mortes pela Covid-19
Pandemia

EUA supera as 400.000 mortes pela Covid-19