Bolívia planeja vender energia a Brasil e Chile com hidrelétricas

O Poder Executivo também tem a intenção de construir a usina hidrelétrica de El Bala, a um custo inicial estimado em US$ 6 bilhões

A Bolívia planeja vender energia a Brasil e Chile, com a construção de represas hidrelétricas, no norte de La Paz e na região de Santa Cruz (leste) - informou o vice-presidente boliviano Álvaro García nesta quarta-feira (25).

Em setembro do ano passado, o governo do presidente Evo Morales autorizou a construção da represa Rositas em Santa Cruz a um consórcio de capitais chineses e bolivianos, a um custo de US$ 1 bilhão, e que entrará em operação em 2024, com um crédito de Pequim.

O Poder Executivo também tem a intenção de construir a usina hidrelétrica de El Bala, ao norte de La Paz, a um custo inicial estimado em US$ 6 bilhões, embora enfrente a oposição de nativos que temem o dano ambiental.

"Quando tivermos El Bala funcionando, ou parte de Rositas funcionando, a Bolívia se apresentará nos mercados de Chile e Brasil, com uma grande oferta, com grandes volumes energéticos e a preços muito bons", afirmou o vice-presidente García, em uma coletiva de imprensa.

Veja também

Em uma semana, mortes por Covid-19 aumentam em 8% e 6% de novos casos
Coronavirus

Em uma semana, mortes por Covid-19 aumentam em 8% e 6% de novos casos

Itália anuncia reabertura gradual a partir do final de abril
Pandemia

Itália anuncia reabertura gradual a partir do final de abril