A-A+

Bolsonaro e Kim Jong-un estrelam vídeo eleitoral de Trump

Antes de Bolsonaro entrar em cena, as bandeiras americana e brasileira aparecem lado a lado. No quadro seguinte, os dois líderes apertam a mão

Donald Trump e Jair BolsonaroDonald Trump e Jair Bolsonaro - Foto: Jim Watsomn/AFP

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) estrela o vídeo que Donald Trump compartilhou nessa terça-feira (9) em uma rede social. A peça é uma propaganda para a campanha presidencial estadunidense de 2020, na qual o americano espera ser reeleito. Além de Bolsonaro, o ditador norte-coreano Kim Jong-un é o outro mandatário que aparece no anúncio.

Em fevereiro, o chanceler do Brasil, Ernesto Araújo, afirmou não saber se o regime da Coreia do Norte é tão brutal quanto o do venezuelano Nicolás Maduro. Em seguida, reclamou que os jornais só passaram a chamar os líderes norte-coreanos de ditadores após Trump passar a negociar com Kim Jong-un.

Antes de Bolsonaro entrar em cena, as bandeiras americana e brasileira aparecem lado a lado. No quadro seguinte, os dois líderes apertam a mão. Bolsonaro foi recebido pelo mandatário americano em março, na Casa Branca.

Leia também:
Políticas de Trump ameaçam agravar desigualdade nos EUA
Em almoço fechado, Trump diz querer Brasil como membro pleno da Otan
Mourão deveria renunciar e ir para a oposição, diz ex-estrategista de Trump


O vídeo começa assim: "Primeiro eles te ignoram. Depois riem de você. Então te chamam de racista". Intercalam essas chamadas imagens de líderes no espectro oposto ao do republicano, como os ex-presidentes democratas Barack Obama e Bill Clinton, mais sua esposa e ex-secretária de Estado de Obama, Hillary.

Filho que acompanhou Bolsonaro na viagem aos EUA, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) compartilhou a postagem de Trump nas redes sociais. Em novembro, com o pai já eleito, ele esteve em Washington com um boné em que se lia "Trump 2020".

Veja também

UE denuncia 'falta de lealdade' dos Estados Unidos com a França
EUA x França

UE denuncia 'falta de lealdade' dos Estados Unidos com a França

EUA condena 'retórica perigosa' de aliado do primeiro-ministro etíope
EUA

EUA condena 'retórica perigosa' de aliado do primeiro-ministro etíope