Bolsonaro encontrará líder envolvido em escândalo de Trump

O encontro entre o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski e Bolsonaro ocorrerá na terça-feira (22)

Jair Bolsonaro, presidente do BrasilJair Bolsonaro, presidente do Brasil - Foto: Isac Nóbrega/PR

No centro de um escândalo que levou à abertura de um inquérito de impeachment contra o norte-americano Donald Trump, o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, abrirá a viagem do presidente Jair Bolsonaro pelo continente asiático.

O encontro entre o ucraniano e Bolsonaro deverá ocorrer na terça-feira (22), na capital japonesa, e será a primeira reunião bilateral do brasileiro no giro de mais de dez dias que fará por países como China, Arábia Saudita e Emirados Árabes. O programado é que Bolsonaro decole para o Japão na noite deste sábado (19).

Leia também:
Trump confirma indicação de diplomata como novo embaixador dos EUA no Brasil
Governo Bolsonaro extinguiu comitês do plano de ação de incidentes com óleo

Em setembro, o brasileiro havia cancelado uma primeira reunião com o ucraniano, que ocorreria nos Estados Unidos. Os dois países aproveitaram para remarcá-la por causa da presença das duas autoridades na cerimônia de entronamento do novo imperador da japonês, Naruhito, na próxima semana.

Segundo diplomatas brasileiros ouvidos pela reportagem, a ideia é que seja um encontro de aproximação entre os dois líderes, que já demonstraram em declarações públicas pontos de afinidade. Eles não descartam, no entanto, a possibilidade de o tema do impeachment ser mencionado durante a conversa.

Tanto Bolsonaro como Zelenski já saíram em defesa pública de Trump no episódio e a reunião, na avaliação de auxiliares bolsonaristas, poderia reforçar essa posição. Os três presidentes foram eleitos no rastro de uma insatisfação popular com a chamada política tradicional.

Em setembro, uma transcrição de uma conversa telefônica entre Trump e Zelenski, divulgada pela Casa Branca, revelou que o líder americano pediu ao aliado ucraniano para investigar Joe Biden, possível rival do republicano nas eleições de 2020, e seu filho Hunter, membro do conselho de uma empresa ucraniana. O registro da ligação, realizada em julho, deu tração para a abertura do inquérito de impeachment pela presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi.

O encontro entre Bolsonaro e Zelenski está previsto para acontecer logo depois da cerimônia de entronamento. Na quarta-feira (23), Bolsonaro terá uma reunião bilateral com o o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

No início do mês, chegou a ser cogitada ainda uma conversa do brasileiro com o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, durante a visita ao Japão, mas ela acabou não sendo marcada.

Em Tóquio, Bolsonaro terá encontros ainda com empresários japoneses e brasileiros, no Hotel Imperial, considerado de luxo e onde ficará hospedado.
Como é de praxe na diplomacia mundial, no entanto, os custos da hospedagem serão pagos pelo governo japonês.

Veja também

Pela última vez, Trump perdoa peru pelo Dia de Ação de Graças
EUA

Pela última vez, Trump perdoa peru pelo Dia de Ação de Graças

Biden monta gabinete moderado com diversidade na superfície para neutralizar críticas da esquerda
EUA

Biden monta gabinete moderado com diversidade na superfície para neutralizar críticas da esquerda