Mundo

Boris Johnson se inspira em ex- presidente americano Roosevelt para estimular a economia

O líder conservador deve pronunciar um discurso na terça-feira (30) para anunciar um programa de grandes investimentos nas infraestruturas do país

Boris Johnson, premiê do Reino UnidoBoris Johnson, premiê do Reino Unido - Foto: AFP

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta segunda-feira (29) que deseja se inspirar no ex-presidente americano Franklin D. Roosevelt, que nos anos 1930 criou o "new deal", para reativar a economia do Reino Unido, duramente afetada pela pandemia do novo coronavírus.

"Acredito que é hora de um enfoque 'rooseveltiano' no Reino Unido", declarou Johnson à Times Radio, em referência à política de recuperação pela demanda e a intervenção estatal aplicada após a Grande Depressão nos Estados Unidos. O líder conservador deve pronunciar um discurso na terça-feira (30) para anunciar um programa de grandes investimentos nas infraestruturas do país. 

Durante a campanha eleitoral no fim de 2019, Johnson se comprometeu a injetar milhões de libras nos serviços públicos. "O que vamos fazer nos próximos meses é duplicar nosso programa original que se concentrou em investimentos em infraestrutura, educação, tecnologia, para unir o país", disse.

O programa inclui um plano de reconstrução de escolas de um bilhão de libras (1,23 bilhão de dólares). Começará no período 2020/21 e incluirá inicialmente 50 projetos. Johnson prometeu que após a crise o país não retornará às políticas de austeridade impostas há 10 anos, quando o também conservador David Cameron estava no poder. 

O confinamento contra o coronavírus provocou uma queda de 20,4% do Produto Interno Bruto (PIB) britânico apenas em abril, um recorde histórico. Sem a ajuda do governo, o desemprego poderia alcançar níveis que não eram registrados desde os anos 1980 e superar o pico de 3,3 milhões de pessoas sem trabalho de 1984, informou no domingo o jornal The Observer, ao citar uma análise da Biblioteca da Câmara dos Comuns. 

"Todos entendem que quando sairmos desta situação teremos tempos difíceis, mas o Reino Unido é uma economia incrivelmente dinâmica e resistente e vamos seguir adiante muito, muito bem", afirmou Johnson.

Veja também

Trump ataca revolução cultural "de esquerda" no Monte Rushmore
Estados Unidos

Trump ataca revolução cultural "de esquerda" no Monte Rushmore

Indonésia enfrenta possível explosão da natalidade após a pandemia
Notícias

Indonésia enfrenta possível explosão da natalidade após a pandemia