Brasil melhora no índice de luta contra a mudança climática

País subiu da 42ª para a 40ª posição, de acordo com os autores do relatório, elaborado por um painel de 28 especialistas do clima de todo o planeta

Cia Caixinha de Música Cia Caixinha de Música  - Foto: Divulgação

O Brasil melhorou sua posição na luta contra o aquecimento global dentro do denominado 'Climate Change Performance Index' (CCPI), um índice simbólico que este ano analisa as políticas para o meio ambiente de 58 países.

O país subiu da 42ª para a 40ª posição, de acordo com os autores do relatório, elaborado por um painel de 28 especialistas do clima de todo o planeta, que analisam as emissões de gases do efeito estufa, as políticas públicas de luta contra o fenômeno, a conversão a energias alternativas e dados do setor privado.

Na América Latina, a Argentina subiu da posição 46 para 36, enquanto o México registrou queda do 26º para o 28º lugar.

A melhor posição no índice é da França, em quarto lugar, graças a sua liderança para avançar com o Acordo de Paris anunciado há um ano, um compromisso de 196 países para manter a temperatura do planeta em um máximo de +2º C na comparação com a era pré-industrial.

Simbolicamente, os três primeiros lugares do CCPI estão vazios porque nenhum país está em condições de alcançar o resultado de +1,5º C, considerado pelos ecologistas como o resultado mais satisfatório para lutar contra o aquecimento do planeta. Atrás da França aparecem Suécia e Reino Unido.

Na parte inferior da lista se encontram Canadá, Austrália e Japão por suas políticas ambientais ou energéticas.

De acordo com as organizações Germanwatch e Climate Action Network Europe (CAN), que coordenaram o estudo, o mundo assiste "ao avanço das energias renováveis e no campo da eficácia energética".

"Mas a transição energética é muito lenta e os países perdem oportunidades para entrar decisivamente nesta via", lamentam os autores.

China e Estados Unidos, que são os dois principais países poluentes do planeta, são "alunos ruins" e ostentam respectivamente as posições 43 e 48.

Veja também

Astronauta estadunidense vota do espaço
Eleições EUA

Astronauta estadunidense vota do espaço

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez
internacional

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez